Covid-19: políticos contaminados pela segunda vez

Na semana passada o governador Carlos Moisés (sem partido) noticiou via redes sociais que havia sido contaminado pela segunda vez pela covid-19, mesmo vacinado com as três doses. Disse que os sintomas eram fracos, mas que não iria circular para a proteção de terceiros. Esta semana deverá voltar à ativa.

Já nesta segunda-feira (17), foi a vez do senador Jorginho Mello (PL) notificar também nas redes sociais que testou positivo pela segunda vez. Os sintomas são leves e afirmou estar tranquilo. Seguirá trabalhando remotamente. Dias atrás, quem esteve com covid foi o senador Esperidião Amin (PP).

Foto: facebook 

Sextou! Dia de Tema Livre inédito na Nova Era TV!

Está gravado mais um programa Tema Livre, da Nova Era TV. Vai ao ar a partir das 21h30, desta sexta-feira (14). Entro em assuntos legais sobre dois territórios a serem mais bem explorados na Serra: a Coxilha Rica e o Salto Caveiras. Isso mesmo. Santa Terezinha do Salto, em Lages, na mira turística.

Um segundo ponto envolve a política, especialmente nos desdobramentos visando o pleito de 2022, e a futuro partidário do governador Carlos Moisés. Confira, também aqui no vídeo do Blog, e no Portal Lages Hoje.

Horários do programa na NETV

Segundas (00:30h, 08:30h, 17:30h); Terças (04h, 15h, 19:30h); Quartas (10h, 20:30h); Quintas (07:30h,

15h); Sextas (10h, 21:30h); Sábados (02:30h, 14:30h), e nos Domingos (01:30h, 11h).

Na internet acesse: www.novaeratv.net.

Foto: Alair Sell

Plano 1000 começa a ser desembolsado pelo Governo

Mais de R$ 1 bilhão em recursos. Este é o montante que será distribuído entre 10 municípios catarinenses que assinaram a adesão ao Plano 1000, nesta terça-feira, 11.

Em ato na Casa d’Agronômica, o governador Carlos Moisés recebeu os prefeitos e reforçou a parceria do Estado para a realização de obras estruturantes nas cidades, impactando em mais qualidade de vida para a população.

Os convênios foram assinados com Blumenau, Içara, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Palhoça, Mafra, Rio do Sul, São José, Videira e Xanxerê.

O primeiro a assinar a adesão ao Plano 1000 no ato desta terça-feira foi o prefeito de Palhoça, Eduardo Freccia. Para ele, sem a ajuda do Governo, fica praticamente inviável ao município realizar grandes obras.

Plano 1000

Pelo programa, os municípios catarinenses receberão recursos equivalentes a R$ 1 mil por habitante. Para calcular quanto cada cidade terá direito a receber, o Governo do Estado leva em conta as estimativas habitacionais mais recentes fornecidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Os recursos serão liberados mediante aprovação dos projetos pelos técnicos do Governo do Estado. É imprescindível que eles contemplem obras estruturantes em áreas como infraestrutura, saúde, educação e desenvolvimento social e que impactem no desenvolvimento regional.

Os valores por cidade

Blumenau: R$ 366.000.000,00

Içara: R$ 58.000.000,00

Jaraguá do Sul: R$ 184.000.000,00

Joaçaba: R$ 30.000.000,00

Palhoça: R$178.000.000,00

Mafra: R$56.000.000,00

Rio do Sul: R$ 72.000.000,00

São José: R$ 253.000.000,00

Videira: R$54.000.000,00

Xanxerê: R$ 52.000.000,00

Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

Observando a política em SC

A política catarinense só não avançou mais em seus acertos até agora, devido à indefinição que pesa o destino partidário do governador Carlos Moisés. Isso só deve acontecer em fevereiro. E não falo aqui das especulações de qual sigla deverá optar, e sim, da situação curiosa em que ele está colocando os demais partidos. E isso é fato.

Somente quando ele decidir é que as conjecturas políticas no Estado deverão ter desdobramento. Isso tudo é realmente muito curioso. Ele, na verdade, deve estar divertindo.

Foto: divulgação 

Ministra vem a Santa Catarina devido à séria estiagem

A situação é séria. A estiagem causada pelo baixo volume de chuvas nas regiões Extremo Oeste, Oeste, Meio Oeste de Santa Catarina, e também a Serra Catarinense. A média atual de precipitações nesses locais é de, respectivamente, 20, 31 e 46 milímetros. Sendo que o esperado seria uma média em torno de 150 mm.

A estiagem é causada pelo baixo volume de chuvas nas regiões Extremo Oeste, Oeste e Meio Oeste de Santa Catarina.

Diante do problema, pelo menos três municípios já decretaram Situação de Emergência: Campos Novos, Chapecó e Urubici.

Assim, na próxima semana, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e o governador Carlos Moisés estarão em Chapecó para encontro com prefeitos e lideranças do agronegócio catarinense.

A intenção é apresentar medidas de apoio aos produtores rurais atingidos pela estiagem. O evento está agendado para quarta-feira, 12, às 16h, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes.

Redução de impostos para bares e restaurantes, pede Colombo

O ex-governador Raimundo Colombo entrou na defesa pela redução de impostos aos bares e restaurantes de Santa Catarina. Segundo ele, governos do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, reduziram o imposto ao setor para evitar que os empregos fossem perdidos e os negócios fechados. Em SC não!

Raimundo reforça que a redução do imposto é uma medida legal: todos esses estados já fizeram para ajudar o cidadão. Onde falta sensibilidade, sobram desculpas. E dá-lhe imposto no bolso do catarinense.

A crítica é dirigida ao Governo de SC que disse NÃO, ou seja, vetou a lei que garantia imposto mais baixo. Segundo o ex-governador, Carlos Moisés usou a desculpa de que estimularia o consumo de bebidas.

A lei equiparava a taxa de ICMS para alimentos e bebidas à aplicada em outros estados: de 7% para 3,2%. O projeto era uma solicitação antiga do setor e foi aprovado pelos deputados estaduais em 2021. Mas agora foi vetado pelo governador.

Por outro lado, tem deputado propondo a derrubada do veto, tão logo retomem os trabalhos na Alesc.

Foto: divulgação

De olho nos passos de Moisés!

No Estado as atenções estarão voltadas para os passos do governador Carlos Moisés, diante da decisão de qual partido irá aportar. É certo que será candidato à reeleição. Resta saber em qual sigla.

Governador Carlos Moisés, no MDB?

Há quem aposte na grande virada política, com filiação no MDB, onde um nome do partido deve se encaixar como vice, na majoritária, e ainda a possibilidade de o PSD formar parceria juntamente com o PP, sacramentando a tríplice aliança.

Numa junção dessas, a disputa fica praticamente definida. Raimundo Colombo (PSD) teria chance de chegar ao Senado, fechando assim a majoritária. Mas, por hora, apenas suposições.

JR, o personagem

O prefeito de Chapecó João Rodrigues (PSD) acabou sendo o principal personagem político ao declinar da briga interna no partido, pela candidatura ao governo em 2022. Assunto que ganhou grande repercussão.

Foto: Leandro Schmidt/PMC

Ao mesmo tempo em que recuou da candidatura evidenciou o apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro, e de quebra, ampliou a proximidade com o governador Carlos Moisés.

Obviamente o assunto já teve seus desdobramentos na última semana. No entanto, é preciso observar a sucessão de fatos deste posicionamento.

O futuro da política catarinense, em parte, terá novos capítulos envolvendo a posição do prefeito, com interferência direta dentro do PSD, e de outros partidos. Não há dúvida.