Pesquisa do Ipec em SC aponta Jorginho Mello na liderança

Pesquisa Ipec (ex-Ibope) encomendada pela NSC Comunicação e divulgada nesta sexta-feira (30), mostra a corrida eleitoral para o cargo de governador de Santa Catarina em votos validos. É a última pesquisa de intenção de voto do instituto antes das eleições de domingo (2).

Nos votos válidos, Jorginho Mello (PL) lidera a disputa no primeiro turno com 29% das intenções de voto, seguido pelo candidato à reeleição Moisés (Republicanos), com 23%.

Os dois estão tecnicamente empatados no limite da margem de erro, que é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Na sequência, outros três candidatos aparecem empatados também dentro da margem de erro: Gean Loureiro (União Brasil) com 16%, Décio Lima (PT) com 15% e Esperidião Amin (Progressistas) com 14%. Veja o resultado com todos os candidatos abaixo.

Para o Senado

Para o Senado em Santa Catarina, o levantamento revela que Raimundo Colombo (PSD), foto ao lado, lidera com 31% dos votos válidos, seguido por Jorge Seif (PL) com 19%, Dario (PSB) com 16%, Kennedy Nunes (PTB): 11%, e Celso Maldaner (MDB): 10%. Estes os mais bem colocados.

A pesquisa

A pesquisa ouviu 1008 pessoas entre os dias 28 e 30 de setembro em 40 cidades catarinenses. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Santa Catarina (TRE-SC) com o número SC-07610/2022 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-02209/2022.

Num eventual segundo turno, entre Jorginho e Moisés, a pesquisa aponta:

Moisés (Republicanos): 36%

Jorginho Mello (PL): 42%

Brancos e nulos: 14%

Não sabe: 8%

Fonte: G1/SC (Veja pesquisa completa)

Colombo em grande encontro político em Lages

Na noite desta terça-feira (27), o candidato ao Senado, Raimundo Colombo (PSD), reuniu simpatizantes no Jockey Club. No evento, presentes outros três candidatos: dois a estadual e um a federal, do mesmo partido acompanhados dos seus militantes.

Raimundo pediu a eles integração máxima nesta reta final, como último impulso nos seus próprios domínios, para poder vencer o pleito de domingo (2).

Faço um parêntese aqui, para ressaltar o fato de que o PSD de Lages, cometeu a façanha de aprovar dois candidatos a deputado estadual. Um tirando voto do outro. Uma decisão abissal, e de pouca compreensão.

Polaco divide os votos da Serra, pelo PSD, com o colega vereador Gerson Omar

E, voltando a falar do candidato Colombo. Em nota à imprensa, ele ressaltou a boa vantagem sobre os demais em nova pesquisa, da Adjori/Visão, e que precisa sustentar a condição de líder até o final.

Por isso, no encontro, o pedido do empenho a mais, de parte de seus partidários serranos. Em caso de confirmação da liderança nas pesquisas, o candidato está com a eleição bem encaminhada.

Pesquisa dá novo cenário para o Governo em Santa Catarina

Tenho contestado a formatação de algumas pesquisas ao governo e senado, em Santa Catarina. Algumas delas apresentam candidatos isolados estratosfericamente acima; outras com números bem abaixo. Confundem o eleitor.

Mauricio Vieira/Secom/Waldemir Barreto/Ag. Senado

Dentro de uma visão mais real, o levantamento do Instituto de Pesquisas Cananéia – IpeC (ex-Ibope) divulgado nesta terça-feira, 20, em Santa Catarina, pela NSC mostra Jorginho Mello (PL) e Carlos Moisés (Republicanos) empatados com 20%.

Pouco atrás, e com boas chances de segundo turno, estão Esperidião Amin (Progressistas) com 15% e Gean Loureiro (UB), com 14%. Décio Lima (PT), cresceu um pouco em relação à pesquisa anterior, e soma 10%.

Como se vê, esta talvez, pode estar mais próxima da realidade. Porém, a desfiguração das mais variadas pesquisas, me deixa um tanto descrente. Enfim, o cenário está posto.

A pesquisa ouviu 800 pessoas entre os dias 17 e 19 de setembro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%. Está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Santa Catarina sob o número SC‐07903/2022 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR‐07730/2022.

 Colombo segue liderando para o Senado

Seguindo os mesmos condicionantes do registro e margem de erro, apontados acima, os índices ao Senado seguem dando vantagem ao ex-governador Raimundo Colombo (PSD), com 26% das intenções de voto.

Logo abaixo, com 13%, aparece Dário Berger (PSB), e em terceiro, Jorge Seif (PL), com 9%. Este ano, os eleitores do estado elegem apenas um senador.

Pela pesquisa, a visão demonstra que o eleitor está optando mais pela experiência dos candidatos, e pelo histórico na política dentro do Estado. Isto também é fato. E é algo que realmente pode fazer a diferença no parlamento, diante do conturbado cenário político nacional.

Prefeito do PSDB hipoteca apoio a Colombo e Napoleão

O prefeito de Indaial, André Moser (PSDB), anunciou apoio às candidaturas do ex-governador Raimundo Colombo (PSD) para o Senado, do vereador tucano Flávio Augusto Molinari para a Câmara Federal e ao ex-prefeito de Blumenau Napoleão Bernardes (PSD) para a Assembleia Legislativa.

O anúncio foi durante encontro que reuniu dezenas de pessoas no interior do município, no sábado à tarde.

Segundo o prefeito, os amigos formam um trio para representar Indaial, o Médio Vale do Itajaí e toda Santa Catarina. Colombo agradeceu o gesto do prefeito André Moser.

Foto: Cláudio Thomas

Pacheco e Carmen Zanotto vão conversar com Barroso

A decisão liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso de suspender, Lei 14.434, de 2022, que institui o piso salarial dos profissionais da enfermagem, repercutiu entre os senadores.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse que tratará imediatamente das soluções para efetivar o piso perante o tribunal, em nome do Parlamento. Prometeu ir em busca dos caminhos e das soluções para a efetivação

Deputada federal Carmen Zanotto

do piso perante o STF. Reunião entre Pacheco e Barroso, em horário a ser definido deve ocorrer nesta terça-feira (6).

Por sua vez, a deputada federal Carmen Zanotto, também disse que também irá conversar com Barroso nesta terça, na esperança de que ele derrube o entendimento da suspensão da Lei.

Foto: Ascom Câmara dos Deputados

Dona Ivete, viúva de Luiz Henrique da Silveira no Senado

Conforme já previsto, o candidato ao governado do Estado pelo Partido Liberal (PL), Jorginho Mello, se licencia do cargo, nesta quarta-feira (24) do mandato de senador. Ivete Appel da Silveira (MDB-SC), viúva do ex-governador Luiz Henrique da Silveira, primeira suplente, é quem assume.

Segundo Jorginho, faz política com grandeza, e lembrou que no início do mandato daria oportunidade para dona Ivete ser senadora. Ela irá permanecer no cargo durante três meses, de 24 de agosto a 23 e novembro. Depois disso, o segundo suplente, Beto Martins, que é do PL de Imbituba, terá a oportunidade no período de 24 de novembro a 24 de dezembro.

A curiosidade é o fato de que a viúva do ex-governador Luiz Enrique, é do MDB, partido coligado a Carlos Moisés (Republicanos). Há quem esteja de olho nesse ato, tido como proveitoso neste momento político, em favor do candidato liberal. E não deixa de ser.

É sabido que há uma parte do MDB que não está satisfeita com a composição Moisés/Udo. Se, Jorginho Mello for eleito, Ivete Silveira herda a vaga no Senado pelos próximos quatro anos. Na eleição passada, Jorginho era aliando do MDB, e foi eleito ao Senado, também, com os votos do Partido.

Foto: Divulgação / Assessoria de Comunicação

Mulher vai poder decidir sobre fazer ou não laqueadura

O Senado Federal aprovou na tarde de quarta-feira (10) o projeto de lei (PL 1941/14) da deputada Carmen Zanotto (Cidadania/SC) que retira da legislação atual a exigência de autorização entre marido e mulher para a esterilização voluntária, laqueadura ou vasectomia. A matéria segue para sanção presidencial.

Segundo a deputada, a realidade é que raramente uma esposa precisa autorizar a vasectomia do marido e quase sempre a mulher precisa da autorização do marido para fazer o procedimento de laqueadura no Sistema Único de Saúde (SUS).

Além disso, a proposta aprovada ainda reduz de 25 para 21 anos a idade mínima a partir da qual é autorizada a esterilização voluntária, permitindo a realização do procedimento na mulher logo após o parto.

Atualmente a regulamentação do Ministério da Saúde proíbe a laqueadura durante períodos de parto, exceto em casos de comprovada necessidade.

O texto também garante a oferta de qualquer método e técnica de contracepção no prazo máximo de 30 dias.

Foto: Elaine Menke/Câmara do Deputados

Senado quer ouvir ministros do Supremo Tribunal Federal (STF)

Quatro requerimentos do senador Eduardo Girão (Podemos-CE) foram aprovados na última terça-feira (9) pela Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC).

 

O debate foi solicitado pelo senador Eduardo Girão – Roque de Sá/Agência Senado

Um desses requerimentos, o REQ 40/2022-CTFC, prevê audiência pública sobre o “conflito de opiniões” em relação ao inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que apura o uso de fake news para atacar membros do Judiciário — que está sob a relatoria do ministro Alexandre de Moraes.

Em um dos requerimentos aprovados um novo convite para o debate dirigido ao ministro Alexandre de Moraes; o procurador-geral da República, Augusto Aras; a ex-procuradora-geral da República Raquel Dodge; o ex-procurador da República Deltan Dallagnol; e o jurista Ives Gandra Martins; entre outros.

Viagem a Portugal

Também foi aprovado o requerimento para que o ministro do STF Ricardo Lewandowski e oito ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) “prestem esclarecimentos sobre viagem a evento recente em Portugal”. De acordo com Girão, a viagem foi paga por “empresas com litígios bilionários na área de falência, pendentes de julgamento por esses magistrados” (REQ 42/2022-CTFC).

Justificativa

Ao justificar seu pedido, o senador afirma que “em toda a história do Judiciário brasileiro, em especial da Suprema Corte de Justiça brasileira, nunca existiram tantos e sucessivos desvios de conduta de magistrados, atitudes totalmente incompatíveis e que ferem de morte pelos menos dois dos princípios basilares do código de ética da magistratura, que são o da total imparcialidade e o da independência”.

O requerimento prevê que sejam convidados para prestar esclarecimentos os ministros Ricardo Lewandowski, do STF; e os ministros João Otávio de Noronha, Marco Buzzi, Paulo de Tarso Sanseverino, Moura Ribeiro, Raul Araújo, Ricardo Cueva, Ribeiro Dantas e Gurgel de Faria, todos do STJ.

Mensalão

Outro requerimento aprovado na CTFC foi o REQ 45/2022-CTFC, para realização de audiência pública com o publicitário Marcos Valério, envolvido no escândalo do mensalão, para que ele esclareça declarações supostamente dadas à Polícia Federal.

Marcos Valério teria dito à Polícia Federal que o PT “mantinha relação com o Primeiro Comando da Capital (PCC), a principal facção criminosa do país, por meio do recebimento clandestino de dinheiro de empresas de ônibus, de operadores de transporte pirata e de bingos, e que, neste último caso, os repasses financeiros ao partido seriam uma forma de lavar recursos do crime organizado”.

Fonte: Agência Senado