BR-282 terá terceiras faixas nos pontos mais críticos

Muito distante de uma duplicação e uma das rodovias federais mais importantes de Santa Catarina, a BR-282 deve ganhar terceiras faixas nos pontos considerados mais críticos e onde há um registro de maior fluxo de veículos e acidentes, especialmente, entre o Litoral e a Serra Catarinense.

A informação foi confirmada nesta terça-feira (16) pelo presidente da Comissão de Infraestrutura (CI) do Senado Federal, senador Dário Berger (MDB).

O parlamentar tratou sobre o assunto com o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), general Santo Filho. A expectativa é de que as obras iniciem já no primeiro semestre de 2022.

Junto com a Infraestrutura

Reunião entre o Dnit e a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade será articulada pelo senador Dário Berger nos próximos dias, já que o governo estadual manifestou interesse em alocar recursos para agilizar a obra. O objetivo é acelerar os trâmites necessários para que os serviços iniciem o quanto antes.

Audiência Pública

A proposta também debatida em audiência pública no dia 14 de junho, em Lages, promovida pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Associação Empresarial de Lages (ACIL) e Ministério Público Federal (MPF).

No encontro, prestigiado pelo procurador da República, Nazareno Wolf, e pelo secretário de Estado da Infraestrutura, Thiago Vieira, Berger se comprometeu em levar a pauta para Brasília e dar os encaminhamentos.

Foto: Divulgação / Fonte: DI Regional

Resultado da articulação do Governo será assinado

O governador Carlos Moisés assinará nesta quarta-feira, 15, às 10h, o Termo de Cooperação com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) que garantirá os investimentos necessários para acelerar as obras federais nas rodovias BR-470, BR-163, BR-280 e BR-285.

O ato será realizado no quilômetro 5 da BR-470, em Navegantes, com a presença de autoridades e lideranças da região.

Consolida-se assim o trabalho de articulação feito pelo Governador, em audiência pública que ele participou, em Brasília, no mês passado, e acertou os termos com o Ministério de Infraestrutura.

Luta de muitos anos começa a se tornar realidade

Finalmente começa a se consolidar uma luta de muitos anos, principalmente de parte dos irmãos gaúchos residentes em Bom Jesus.

 

Pois, nesta quarta-feira (14), a Superintendência Regional do Rio Grande do Sul, do Denit, deu a ordem para que o Consórcio Planaterra/Traçado/Iguatemi desse início, a partir deste dia 15 de julho, a mobilização e a execução dos serviços de elaboração dos Projetos Básico e Executivo de Engenharia e Execução das Obras de Construção da Rodovia BR 285, RS.

Isso significa que o trecho de 24,18 quilômetros de extensão, da divisa com Santa Catarina, no município de São Joaquim, até Bom Jesus terá, em breve, a licitação aberta para a pavimentação. Um sonho para a comunidade gaúcha, e porque não também da catarinense, que agora aguarda o comunicado para também concluir os 10 km que faltam para chegar até à divisa, junto ao Rio Pelotas, na Ponte das Goiabeiras.

Parte do lado catarinense já está pavimentado

Tudo se encaminhado. Os governadores de Santa Catarina, Carlos Moisés, e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite conversaram a respeito desses projetos, recentemente.

Daqui para frente, a tramitação de todos os projetos estão andando. Em breve, as regiões catarinense e gaúcha, pavimentadas, se tornarão um dos principais eixos do escoamento de produção e da exploração do turismo, através da Rota Caminhos da Neve.

Foto: divulgação

Governador age na questão da Rota Caminhos da Neve

A atitude do governador Carlos Moisés em decidir reforçar o pedido de federalização da Rota Caminhos da Neve (SC-114) junto ao Governo Federal através de ofício enviado ao Ministério da Infraestrutura nesta quarta-feira, 20, é primordial para que se deem os encaminhamentos à Rota Caminhos da Neve, e finalmente dar a implementação do corredor turístico entre as serras catarinense e gaúcha.

Construção da Ponte das Goiabeiras entre as prioridades da Rota Caminhos da Neve

A partir deste novo encaminhamento o processo pode ter os trâmites agilizados, pois, o Estado já providenciou a desafetação da SC-114, no trecho entre São Joaquim e o entroncamento com a estrada de acesso a São Sebastião do Arvoredo, por meio da sanção da Lei nº 17.871, de 2019. A medida permite desincorporar a estrada do domínio estadual. Além da construção da Ponte das Goiabeiras.

A rodovia já consta no Sistema Nacional de Viação e possui os estudos e projetos necessários. Com o processo de federalização, que tramita em Brasília, o trecho da SC-114 se torna BR-438.

Continuidade das obras

O governador também pediu a continuidade das obras da rodovia. Porém, o Governo Federal precisa emitir a Portaria de Absorção da Rodovia BR-438 para que o DNIT conclua os últimos 11 quilômetros da SC-114.

Corredor

O principal objetivo da Rota Caminhos da Neve é interligar dois polos turísticos do Sul do Brasil, fomentar a economia das regiões e transformar a BR-438 num importante corredor de escoamento de produção agrícola integrado com a BR-282 e BR-285.

Foto: Prefeitura de São Joaquim

Pavimentação da Rota Caminhos da Neve: processo andando

Há tempos que não abordo o assunto da pavimentação da Rota Caminhos da Neve. Pois, as notícias a respeito são animadoras.

O entendimento é de que agora não falta mais nada. O EVTEA que é a ferramenta que norteia tudo está pronta. Todos os elementos técnicos encontram-se devidamente planejados. Com isso entende-se que Ministério da Infraestrutura agora tem todas as informações necessárias para acionar o Dnit.

Uma vez que a rodovia foi inserida no SNV (Via Lei da Federalização); o Governador de SC também já sancionou a doação; o Governador do RS também já entregou o EVTEA do trecho gaúcho e assinou a manifestação favorável; e já existe o projeto executivo do trecho de SC desenhado até a Ponte das Goiabeiras, portanto, o processo tende a andar mais rapidamente.

Por outro lado

Crédito: Clovis Oliveira.

No caso da Ponte das Goiabeiras, o drama de moradores e empresários da região da divisa entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina, só aumenta, pois, a ponte encontra-se interditada pela Defesa Civil, exatamente por ser divisa de Estado. Ela não tem mais condições de uso.

No entanto, se todas as informações convergirem no mesmo sentido, entende-se que agora o Ministério da Infraestrutura já pode entrar em ação através do Dnit que é o órgão executor do Governo Federal.

E mais, se os representantes políticos dos dois estados, nas esferas estaduais e federais derem um empurrãozinho, o processo pode ganhar em aceleração, e não mais perder tempo.

O triste desenrolar dos fatos na agora BR 438

Mais uma vez escrevo aqui meu manifesto, apenas através dos relatos que vejo no grupo de lutadores pela efetiva pavimentação da Rota Caminhos da Neve e da construção da Ponte das Goiabeiras.

Na certeza de como está o processo, o apelo para que todos ajudem na cobrança de providências. Parece que, quanto mais se pede socorro, mais as autoridades responsáveis ignoram e protelam a tomada de decisões.

Muito embora tenha havido avanços, pois, mesmo não oficialmente, relatos dão conta de que a rodovia já está no SNV (federalizada); O DNIT já criou a nomenclatura BR-438; o Governo de SC já fez a desafetação da SC-114; o Governo do RS já fez a entrega do Estudo Ambiental e Econômico (EVTEA) da Rota Caminhos da Neve. No entanto, não há sinal de que a obra tanto do pavimento quanto da ponte comece.

Abaixo, relatos desesperadores postados em grupos de WhatsApp. Que sirvam de exemplo para que todos vejam o que está acontecendo. Não é mais possível aceitar que as coisas continuem como estão.

Fotos: Divulgação

EVTEA da Rota Caminhos da Neve perto de ser finalizado

Os Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) são vitais para o apontamento de obras consideradas urgentes e viáveis, para que elas se tornem realidade.

A interação sobre o tema foi feita pelo deputado estadual Marcius Machado (PL) que entrou em contato com o superintende do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) de Santa Catarina, engenheiro Ronaldo Carioni Barbosa na segunda-feira (27), exatamente para obter novas informações sobre o andamento do processo da Rota Caminhos da Neve.

A informação vinda do DNIT é a de que o processo do EVTEA está em andamento e que o inventário para absolvição rodovia estadual pelo DNIT seja concluído, com toda a documentação, até julho deste ano.

Uma boa notícia para a Serra Catarinense e a Gaúcha que poderão, quem sabe, este ano, ver em definitivo o encaminhamento para retomar a pavimentação da Rota Caminhos da Neve, através da esfera federal.

Foto: Agência Alesc

Emenda de R$ 130 milhões para a Rota Caminhos da Neve

O assunto envolvendo a Rota Caminhos da Neve não passou em branco durante a passagem do governador Carlos Moisés, na tarde desta quinta-feira (20), em Lages.

O deputado estadual Marcius Machado foi quem tocou na questão durante esta fala, ressaltando a necessidade de o Governo do Estado trabalhar junto ao Dnit, para apressar o processo de federalização.

Tão logo os atos governamentais terminaram, o deputado Marcius, e a deputada federal Carmen Zanotto cercaram o secretario de estado de Infraestrutura, Thiago Augusto Vieira, exatamente para cobrar pressa.

E a razão desta pressa é para que tudo esteja em ordem junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), e o Governo do Estado, através da Secretaria de Infraestrutura terá papel relevante.

Carmen pediu a atenção especial do Secretário porque está previsto no Plano Plurianual – PPA, emenda sob indicação dela e da Bancada Catarinense, o valor de R$ 130 milhões para contemplar o início da construção da Ponte das Goiabeiras e demais investimentos em toda a Rota Caminhos da Neve. O total necessário é de R$ 166 milhões aproximadamente para integrar Serra Catarinense e com a Serra Gaúcha.

Justificativa para a construção da Ponte

Parte da emenda se justifica por contemplar o início da construção de ponte que faz ligação rodoviária entre os estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, na rodovia que tem entroncamento com a BR-285 (Bom Jesus/RS) – Divisa RS/SC – São Joaquim/SC – Urubici/SC – e entroncamento com a BR-282 (Bom Retiro/SC), sendo incluído na relação descritiva das Rodovias do Sistema Rodoviário Federal, constante do Anexo da Lei nº 5.917, de 10 de setembro de 1973, que institui o Plano Nacional de Viação – PNV, por meio da Lei Federal nº 13.689/18, denominada Rota Caminhos das Neves.

A BR-438 faz a integração entre a Serra Catarinense, Campos de Cima da Serra e o Extremo Sul de SC, por exemplo: com o encurtamento de distâncias, a cerâmica e o arroz do Extremo Sul de SC chegarão mais baratos na Serra Catarinense. A Maçã do Rio Grande do Sul que é colhida nos Campos de Cima da Serra, terá redução significativa para a armazenagem que ocorre na região de Fraiburgo-SC, e também para a exportação. A Madeira dos Campos de Cima da Serra-RS poderá ser industrializada na Serra Catarinense.

Hoje existe uma travessia que foi construída pela própria população da região, feita por trilhos e pranchões de madeira, batizada por populares de Ponte das Goiabeiras, que de forma precária vem atendendo há anos o tráfego existente no local, entretanto, com as sucessivas intempéries, a estrutura improvisada tem recorrentes quedas, inclusive, com casos de caminhões e automóveis sendo arrastados pelas corredeiras do rio. Diante desta realidade que pode virar uma tragédia a qualquer instante, é que indico a presente emenda.