Perto de duas mil pessoas no encontro estadual do PL

Com a participação de aproximadamente duas mil pessoas em Lages, no Centro Serra, o Partido Liberal apresentou o que tem de melhor para o enfrentamento das urnas no Estado, em 2022.

Assim, o encontro do PL, neste sábado, 20, mostrou força, com a reunião de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, deputados, filiados e apoiadores.

Alinhados

A ocasião deixou claro também o alinhamento com o presidente Jair Bolsonaro. O PL aguarda a filiação dele nos próximos dias. Tanto que, o ex-senador Magno Malta (PL-ES) que esteve presente, saiu em defesa do governo Bolsonaro e da pré-candidatura do senador e presidente do PL-SC, e também de Jorginho Mello ao governo do estado.

Já o senador Jorginho Mello, ao discursar afirmou que pretende trabalhar para que o projeto de governo se consolide cada dia mais, mesmo com sacrifícios.

Vice-governadora

Por fim, o evento que além de oficializar a filiação da vice-governadora do Estado, Daniela Reineher, que deverá buscar uma vaga na Câmara Federal, deu carta branca para Jorginho Mello buscar a eleição ao Governo do Estado.

Emocionada ela ressaltou que foi recebida com respeito e dignidade, e que no PL vai seguir defendendo as pautas alinhadas com o presidente Bolsonaro.

Fotos: Assessoria de Imprensa PL

Carlos Moisés transmite cargo a Mauro de Nadal

O deputado estadual Mauro de Nadal assumiu na tarde desta sexta-feira, 5, o Governo do Estado, em função da viagem de Carlos Moisés para a Escócia, onde participará da Conferência do Clima da ONU, a COP 26. Uma solenidade na Casa d’Agronômica marcou a transmissão do cargo.

Presidente da Assembleia Legislativa (Alesc), Nadal assume a função até o dia 11 de novembro, uma vez que a vice-governadora Daniela Reinehr também estará em viagem internacional aos Emirados Árabes Unidos.

Ao assumir o Executivo das mãos de Moisés, o agora governador em exercício afirmou que pretende dar prosseguimento às agendas de entrega.

Foto: Júlio Cavalheiro/Secom

Chacina em Saudades, no Oeste: o sétimo dia

Hoje, terça-feira (11), o sétimo dia da chacina em Saudades, na creche Pró-Infância Aquarela. Uma homenagem marca o dia no final da tarde, organizada pelos clubes de serviço em que as agentes educativas Keli Adriane Aniecevski e Mirla Renner atuavam. É mais um dia triste e marcante.

Na terça-feira (4), um jovem morador local perdeu a cabeça e invadiu a creche, matando também três crianças com menos de dois anos.

Conforme informações, a sala onde ocorreu o ataque será transformada em um parquinho ou jardim. As reformas, segundo o cronograma iniciam nesta quarta-feira (12). Por outro lado, as aulas seguem suspensas pelo menos até o dia 14. O fato gerou comoção nacional pela gravidade.

No mesmo dia, a governadora interina Daniela Reinehr esteve na cidade. Há informações de que o governador Carlos Moisés também deve visitar o município nesta sexta-feira,14, acompanhado do ministro da Educação Milton Ribeiro e do secretário de Estado de Educação, Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro, entre outras autoridades.

Notificação também entregue à Daniela Reinehr

Tão logo entregou a notificação do resultado do julgamento de impeachment, ao governador Carlos Moisés, informando de que ele poderia retomar o comando do Estado, o chefe da Casa Militar da Alesc, o coronel Ricardo Alves da Silva se dirigiu até à residência oficial da vice-governadora, Daniela Reinehr, e entregou a cópia da notificação a ela. 

O documento com a devida assinatura do presidente do Tribunal de Justiça, Ricardo Roesler, determina que Daniela volte oficialmente ao cargo de vice.

Foto: divulgação

Julgamento do impeachment de Carlos Moisés

Um dia histórico na política catarinense. Dia em que novamente o governador de Santa Catarina está no banco dos réus, e pode ser afastado definitivamente.

Carlos Moisés pode ou não retornar ao comando do Governo

O julgamento transcorre na Assembleia Legislativa, conduzido por um Tribunal Especial. Moisés está sendo julgado pelo crime de responsabilidade na compra dos 200 respiradores mecânicos com pagamento antecipado de R$ 33 milhões. O crime de omissão também pesa.

Seja como for, independente da hora, depois deste julgamento, quem quer que seja, Carlos Moisés ou Daniela Reinehr, o Estado precisa de uma nova ordem administrativa.

🎥 Assista: bit.ly/3uupw3l

Governo de SC anuncia concessão de auxílio emergencial

O Governo do Estado enviará para a Assembleia Legislativa (Alesc), ainda nesta semana, o projeto de lei que autoriza a concessão de auxílio emergencial para pessoas em situação de vulnerabilidade e desempregados que atuavam nos setores mais afetados pela pandemia de Covid-19.

A estimativa é que sejam atendidas mais de 62 mil famílias catarinenses. O investimento do Executivo será superior a R$ 37 milhões, com recursos já garantidos no orçamento.

A proposição já havia sido planejada pelo governador Carlos Moisés, antes do afastamento. Agora, a interina Daniela Reinehr decidiu dar continuidade à ideia para tentar diminuir os efeitos da pandemia, com o auxílio emergencial estadual.

O estudo, realizado pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF) com base no levantamento da Secretaria do Desenvolvimento Social (SDS), foi finalizado nesta quarta-feira, 5.

O Governo deve disponibilizar R$ 14,2 milhões mensais para atender os catarinenses que estão necessitando deste suporte.

Observo que

A impressão é de que o tempo segue passando rapidamente. Dentro de mais alguns ocorre o julgamento do governador afastado, Carlos Moisés, na acusação de crime de responsabilidade e omissão, no caso da compra dos 200 respiradores. Portanto, na sexta-feira, 7 de maio, se cruzam judicialmente os interesses pelo comando do Estado.  Se Daniela vai ou não permanecer, não se sabe.

Posicionamentos externos dão indicativo de que Moisés será inocentado e deve retomar o controle das ações do Governo. São muitas as especulações em torno no processo, e mais ainda, nos bastidores, com todo o tipo de articulação. 

Por outro lado

Os atos políticos de Daniela Reinehr dão margem à crítica. A principal questão a que me refiro se deve às exonerações e promoções de nomes do alto escalão, justamente neste curto momento em que antecede o julgamento do governador afastado Carlos Moisés.

Na segunda-feira (26), promoveu a troca do presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de SC (Santur), Leandro ‘Mané’ Ferrari Lobo. E, nesta quinta (29), a do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon. Para o lugar dele, Ricardo Gouvêa.

Ricardo de Gouvêa assumiu a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável nesta sexta-feira, 30

Afinal, quanto deve custar aos cofres do Governo tais mudanças? E, caso Carlos Moisés retorne, de novo a mexida será grande. O mínimo que poderia se esperar, de parte de Daniela, seria um pouco de paciência. Nem mesmo ela sabe o que vai acontecer no “Dia D”, do pedido de impeachment. Ou será que sabe algo mais, e que nós, meros mortais do lado de cá, não sabemos.

Indo direto ao ponto!

A governadora interina Daniela Reineher (sem partido) pode estar vivendo seus últimos dias na interinidade do comando do Governo de Santa Catarina. É sabido de que no próximo dia 7 de maio, numa sexta-feira, a partir das 9h, se dará início ao julgamento de Carlos Moisés, no caso dos respiradores. Embora já esteja descartada a participação dele na condição da efetividade do crime, ele terá de enfrentar o júri sob a acusação de responsabilidade e omissão. Seja como for, a expectativa que ronda o julgamento é das mais esperadas. Há quem esteja até lidando com o assunto sério, no campo das apostas.

O governador Carlos Moisés pode retornar ao cargo, após julgamento

Ambas as partes, de Daniela Reinehr e de Carlos Moisés, dentro dos atos que lhes competem, suas defesas estão tentando comprovar o melhor caminho a ser seguido pelo julgamento. Articulações e manobras nos bastidores também estão em meio ao conflito pelo poder. Este apenas um lado. O da opinião pública, pelo que se observa, está tendo uma pendência pela volta de Carlos Moisés, principalmente em meio ao empresariado, e de boa parte de prefeitos e vice-prefeitos. Pois, neste período em que está se completando o primeiro mês de Daniela no cargo maior, pouco se viu em termos de resoluções que possam lhe creditar favoravelmente a conduta de gestora. Foi mais marcante a ciranda da troca de nomes em pastas importantes, do que atos de impacto no Estado.

Enfim, até agora, Daniela não disse a que veio. Nesses quase 30 dias no Governo, só trilhou o trajeto da Capital Florianópolis até Brasília. Não encontrou tempo para visitar e se relacionar com municípios, nem mesmo da região de origem, o Oeste.

Foto: Ricardo Wolffenbüttel