Ponte das Goiabeiras: sofrimento, espera e esperança…

As comunidades de São Joaquim (SC) e Bom Jesus (RS) vivem um misto de sofrimento, esperança e espera. Nem precisa explicar muito, a partir das imagens que você pode ver abaixo, produzidas por Éder Cruz Souza,

Portanto, este é o estado da Ponte das Goiabeiras, sobre o Rio Pelotas, após as fortes chuvas em São Joaquim. Neste momento o caminho entre São Joaquim (SC) e Bom Jesus (RS), via São Francisco Xavier permanece interditado devido à queda da estrutura da Ponte.

A prefeitura de São Joaquim deverá deslocar as máquinas para auxiliar no trabalho de remontagem da ponte de modo paliativo.

A licitação para a nova ponte já foi publicada e está prevista para acontecer já no final do mês de maio de acordo com os trâmites legais. É aqui que entra a minha referência da esperança e a espera.

Assim será a nova Ponte das Goiabeiras, divisa entre SC e RS, vista através de animação apresentando o projeto.

A obra terá valor global de R$12.005.939,82 oriundos do Governo do Estado de SC e com a fiscalização e projeto ambiental custeado pelo município de São Joaquim.  A nova ponte terá uma altura de 5.90m acima do nível da atual.

Exército libera para uso ponte emergencial na BR 470/SC

Após uma semana de muito trabalho, o Exército Brasileiro e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) liberaram no último dia 6, o tráfego sobre a ponte móvel montada na BR-470, uma das principais do Sul do país. É mais uma ação de apoio às comunidades e de contribuição ao desenvolvimento nacional.

A nova ponte metálica montada é uma alternativa de tráfego à ponte do traçado original da BR470/SC sobre o Pablo Gomes.que foi interditada após uma vistoria do próprio DNIT, que detectou riscos à estrutura após as fortes chuvas que atingiram a região.

Acompanhe o histórico da obra na reportagem do jornalista e também tenente do Exército, Pablo Gomes.

Recentes chuvas deixam rastro de destruição em Urubici

Pontes arrastadas, rodovias intransitáveis, lavouras inteiras destruídas e prejuízos de milhões, especialmente aos moradores do Vale do Rio Canoas. Esta é a realidade de Urubici devido ao temporal desta semana. Dois dias após cessadas as chuvas, a situação em muitas comunidades é desoladora.

A prefeita Mariza Costa relatou na manhã desta sexta-feira (06), a situação ao secretário de Estado do Desenvolvimento Social, João Batista Costa e ao diretor estadual de Habitação e Regularização Fundiária, Leonardo Martins Machado. Ela se encontrou com eles para tratar sobre o programa SC Mais Moradia.

As fortes chuvas entre segunda e quarta-feira, fizeram com que os rios de Urubici transbordassem, especialmente o Canoas e o rio Bispo. A correnteza simplesmente destruiu tudo pela frente e teve produtor rural que perdeu animais como gado, búfalo e porcos, arrastados pela correnteza.

Até mesmo a ponte na rodovia SC-370, localidade de Canudos, que leva à Serra do Corvo Branco, teve uma das cabeceiras arrancada pela água. A pista cedeu e uma cratera com ao menos cinco metros de largura por três de profundidade deixou a serra isolada. Uma outra ponte de grande porte, nas margens da mesma rodovia na localidade São José, também teve uma das cabeceiras arrastadas pela correnteza.

(Informações e fotos: Onéres Lopes

Chuvas: Rio Carah transborda e alaga bairros de Lages

Imagens mostram a situação dos alagamentos em Lages. Ontem, quarta-feira (4) a equipe de Comunicação de Amures fez algumas tomadas de áreas alagadas de Lages no fim da tarde.

Como se vê, o Rio Carah transbordou no Caça e Tiro e várias edificações comerciais residenciais ficaram ilhadas.

Aliás, áreas como a do Clube Caça e Tiro, já estão sofrendo com a subida da água.

Nível da régua de marcação da água na ponte do Carah, aproximava dos 5 metros. Com nível subindo, a tendência é atingir os 6 metros, entre a noite desta quarta-feira e manhã de quinta-feira.

O represamento na foz do Carah, pelo aumento do nível do rio Caveiras preocupa as autoridades da cidade. O monitoramento é constante para evitar que famílias sejam surpreendidas pela água.

Fotos: Amures

Lages: em 48 horas o acumulado de chuva é de 175,2mm

A Defesa Civil de Lages e demais Secretarias Municipais continuam com o trabalho de auxílio, monitoramento e prevenção às comunidades afetadas pelas chuvas volumosas dos últimos dias.

Conforme o último relatório expedido às 22h43, de terça-feira (3 de maio) o total de acumulado das chuvas nas últimas 48 horas é de 175,2mm.

Com relação ao nível do rio Carahá, o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), informa às 8h35, dessa quarta-feira (4), 4,65 metros acima do considerado normal e registrado pelo pluviômetro da estação.

Atendimentos

O relatório mais atualizado da Defesa Civil Municipal mostra ainda que foram realizados 81 atendimentos pelas equipes, sendo: alagamentos, transbordamento de córregos, deslizamento de terras, destelhamentos, quedas de muras e árvores, regate e locomoção entre outros. Agora, são 324 pessoas afetadas diretamente pelas chuvas em Lages.

Até o momento não foi necessária a ativação de abrigos. Nove pessoas, por questões de segurança, estão em casas de amigos e parentes. Este trabalho é realizado em parceria com a Secretaria de Assistência Social e Habitação.

Qualquer emergência devido às chuvas e temporais a comunidade pode entrar em contato direto com a Defesa Civil Municipal nos telefones: 9 8406 4037 ou 199.

Fotos: Divulgação/Defesa Civil

Recado da coordenação da Defesa Civil de Lages

O Boletim da Defesa Civil foi gravado, ontem, segunda-feira (3). No entanto, segue válido. Ouça do que diz o coordenador do órgão Lages, o Sargento Pacheco.

De acordo com ele, nas últimas 24 horas se registrou um acumulado de 90mm de chuva em Lages. Foram realizados 43 atendimentos da Defesa Civil para a comunidade que, de alguma forma, foi atingida pela chuva.

O novo relatório da Defesa Civil mostra que 172 pessoas foram afetadas de alguma forma pela chuva em Lages. Porém, este número tende a aumentar.

Chuva forte em cidades do litoral, inclusive, com mortes

A chuva atormentou a vida dos catarinenses, especialmente no litoral e em Florianópolis, na tarde deste domingo (24).

Por outro lado, equipes do Corpo de Bombeiros de Militar de Santa Catarina e da Defesa Civil estadual estão mobilizadas para o atendimento das ocorrências relacionadas às fortes chuvas.

A região mais atingida é a Grande Florianópolis, onde foram registradas pelo menos três ocorrências de deslizamento, uma delas com vítimas de soterramento.

No final da tarde foi confirmado que duas pessoas, mãe e filha, morreram após um deslizamento de terra e desabamento de um muro, no bairro Saco Grande, na Capital.

Veja nas imagens as ruas alagadas em Florianópolis.

Foto: Flavio Vieira Jr/Defesa Civil

Bombeiros de Lages também atentos às chuvas

Desde às 3 horas da manhã do dia 30/05 após a cidade de Lages receber um volume significativo de chuvas, o Corpo de Bombeiros Militar de Lages permanece em estado de atenção e vistoriando os principais pontos de alagamentos a fim de identificar possíveis pontos de alagamentos ou pontos de vulnerabilidade que possam colocar em risco a segurança da comunidade lageana.

 Embarcações equipadas com motor, efetivo especializado encontram-se em prontidão caso seja necessário o emprego.

Em caso de emergência ligue 193, a Central de Operações Bombeiro Militar – COBOM permanece 24h a serviço da comunidade.

Por outro lado, a Defesa Civil Municipal informa que até o final desta tarde já choveu cerca de 60 mm. A preocupação é com o rio Carahá, que está com cerca de 3 metros acima do nível normal e sobe em média 15 cm por hora. Há previsão de chuva durante à noite, por isso será mantida toda a atenção.

Foto: divulgação