Prefeito encaminha nova proposta a servidores municipais

A categoria dos servidores municipais de Lages representados pelo SindServ, Simproel e SindFisco, rejeitou esta semana a revisão da parcela única e a correção do vale de alimentação.

Diante disso, o prefeito Antonio Ceron fez nova oferta, uma contraproposta que já está oficializada e enviada aos três sindicatos.

Conforme o prefeito, a proposta é o pagamento dos 10,15% sobre o vencimento de abril de 2022 em parcela única no mês de junho de 2022. Já o Vale Alimentação, o reajuste será na ordem de 20%, também a partir de junho de 2022.

Resta saber se desta vez, haverá acordo.

Foto: Instagram

Marcha dos Prefeitos a Brasília em Defesa dos Municípios

Desta vez, penso que muitos prefeitos devem ter ido a Brasília, participar da chamada Marcha, em defesa dos municípios, para agradecer a quantidade de recursos recebida por conta da pandemia. Terão, por certo, bem menos para cobrar do Governo.

Obviamente haverá um debate sobre finanças municipais e o que as cidades podem esperar sobre a Reforma Tributária, que está sendo discutida no Congresso Nacional. Além de temas como saneamento e turismo.

Aliás, os presidenciáveis vão participar dos debates, a começar pelo presidente Jair Bolsonaro, logo na abertura, nesta terça-feira (26). De acordo com a assessoria de imprensa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ele não deve comparecer. Os demais, Dória, Ciro Gomes, Tebet, também vão passar pelo evento, que termina na quinta-feira (28).

Como o ano é eleitoral, por isso a CNM convidou os pré-candidatos à presidência do Brasil para debater sobre a importância dos governos municipais no desenvolvimento do país

Neste ano, o tema tratado por mais de 6 mil gestores públicos será “Município: O caminho para um Brasil Melhor”

Antes de encerrar o assunto, lembro que o prefeito de Lages, Antonio Ceron, foi ao evento, em Brasília, prestar a sua contribuição à causa dos gestores públicos municipais.

(Informações e fotos Brasil 61)

Panorama da política em SC é o assunto do Tema Livre na NETV

Nesta sexta-feira (18), no Tema Livre gravado pela manhã fiz uma ampla abordagem do cenário político catarinense, com destaque para a possibilidade da pré-candidatura do prefeito de Chapecó, João Rodrigues.

O que pode acontecer com esse cenário? E mais. A situação do governador Carlos Moisés com a decisão de se filiar ao Republicanos;, ainda sobre o caminho do MDB, e pontos que envolvem os nomes de Raimundo Colombo e Fernando Coruja, entre outros. Só conferir.

Horários do programa na NETV

Segundas (00:30h, 08:30h, 17:30h); Terças (04h, 15h, 19:30h); Quartas (10h, 20:30h); Quintas (07:30h,

15h); Sextas (10h, 21:30h); Sábados (02:30h, 14:30h), e nos Domingos (01:30h, 11h).

Na internet acesse: www.novaeratv.net.

Foto: Alair Sell

Zona de Processamento e Exportação (ZPE) de Lages

Nesta quarta-feira (16), o prefeito Antonio Ceron e o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina, Luciano Buligon, assinaram o decreto que formaliza a criação da Zona de Processamento e Exportação (ZPE) do município.

Segundo eles, agora precisam aguardar os trâmites burocráticos. O decreto fica à disposição do Governo do Estado que depois o enviará ao Governo Federal para que seja feita a homologação por parte do presidente da República.

Confira no vídeo abaixo o que foi dito pelo Prefeito e pelo Secretário após a assinatura do decreto:

Hoje estamos combatendo a estiagem, no entanto…

Também estamos acompanhando o que tem acontecendo em outras regiões do país, com chuvas intensas e muita destruição, por causa do fenômeno climático chamado La Niña, de acordo com meteorologistas do órgão federal. Isso já aconteceu em Santa Catarina e resta torcer para que não aconteça mais. Difícil prever.

Em Lages

A última forte chuva, em Lages, ocorreu em 2017. Os alagamentos na cidade, principalmente na orla do rio Carahá, nas proximidades do Rio Caveiras, deixaram casas, empresas e até mesmo o Clube Caça e Tiro, submersos. E não foi uma única vez.

Que o drama das cheias não se repita em Lages (Foto: divulgação)

A partir do último fenômeno se pensou num Plano de Contenção das Cheias. O prefeito Antonio Ceron encabeçou e propôs um estudo técnico e deixar de lado os “achismos” a respeito das soluções. Na Câmara de Vereadores, a mesma iniciativa também foi tomada por alguns edis.

O projeto

Assim, se não me engano, um estudo ficou pronto em 2019, feito por especialistas do Centro de Ciência Agroveterinárias (CAV), e apresentado na própria Câmara de Vereadores.

Apresentação na Câmara de Vereadores de um levantamento técnico e dados científicos para prevenir as enchentes em Lages, no dia 24/10/2019.

Entre as soluções a construção de uma barragem entre Lages e Painel; túnel extravasor entre a chácara Asa Verde, no emboque, atrás do Morro Grande, e também, a construção de pelo menos cinco diques no Caveiras. Isso tudo para reduzir o impacto das enchentes, caso voltassem a acontecer.

Custo

O problema é que a partir do estudo, o custo para a execução do Plano de Contenção ficou bastante alto. Na época, custaria em torno de R$ 70 milhões para a construção das barragens, e o túnel, em torno de R$ 30 milhões. Os dados fazem parte de pesquisas em reportagens da época.

Conclusão

Quem poderá afirmar que estas chuvas da Bahia, de Minas Gerais, de São Paulo e do Rio de Janeiro não poderão, mais tarde ocorrer em Santa Catarina? Obviamente, há possibilidade, cedo ou tarde, infelizmente.

Enquanto isso, o Plano de Contenção das Cheias, elaborado em Lages, sem “achismo”, está esquecido, no fundo de uma gaveta qualquer. Se, infelizmente, Lages viver novo drama no futuro, a população que normalmente sofre, saberá de quem cobrar. Pois, sequer foi tentado executar uma parte sequer, do tal Plano.

Lages adere ao Plano 1000

Diferente de quando se anunciou primeiramente, ou seja, ampliar o asfaltamento na Coxilha Rica, o prefeito Antonio Ceron colocou como prioridade número um para investir os recursos do Plano 1000, a revitalização de toda a extensão da Av. Belizário Ramos, ou Av. Carahá.

A assinatura do convênio do Plano 1000 com o Governo do Estado, no valor de R$ 157 milhões, foi feita nesta quarta-feira (9), em Florianópolis.

Além de Lages, aderiram nesta rodada as cidades de Campos Novos, Capivari de Baixo, Concórdia, Fraiburgo, Garopaba, Guabiruba, Guaramirim, Herval d’Oeste, Porto União, Santo Amaro da Imperatriz, São Francisco do Sul, São João Batista, São Joaquim, São Lourenço do Oeste, Schroeder, Sombrio e Timbó.

Confira aqui o vídeo em que o prefeito Ceron e o governador se pronunciam.

Foto: Peterson Paul / Secom  

Lages já tem projeto para aplicar os recursos do Plano 1000

O secretário de Administração e Fazenda da prefeitura de Lages, Antonio Arruda, em entrevista ao meu programa Tema Livre, disse que o prefeito Ceron já teria em mente um grande projeto estruturante, e que resultará no desenvolvimento de Lages e Região para os próximos anos.

Secretário deu a dica sobre onde serão investidos os recursos do Plano 1000 do Governo, mas não abriu por completo durante a nossa entrevista

No dia da gravação, captei qual seria o investimento, mas preferi não abrir, até porque, o Secretário lembrou que essa informação seria uma prerrogativa do Prefeito, após conversa com o segmento representativo da cidade. Portanto, evitei abordar sobre a possibilidade.

Porém, como era de se esperar, os recursos do Plano 1000 do Governo do Estado, para Lages, em torno de R$ 157 milhões deverão ser aplicados na estrutura viária da Coxilha Rica, conforme revelado, ampliando os acessos, na intenção de tornar definitivamente a região no celeiro de grãos de Santa Catarina.

A proposta deverá agora ser apresentada ao governador Carlos Moisés neste início de ano, com possível início da implantação ainda no primeiro semestre de 2022. O restante do dinheiro deverá ser aplicado nos anos seguintes, caso o governador seja reeleito. Faz parte da estratégia para se manter no poder por mais um mandato. Muito inteligente.

Politicamente uma jogada de marketing interessante, e que coloca os prefeitos numa situação de comprometimento com os investimentos nos municípios, e, obviamente, com Carlos Moisés. Isso tudo, deverá render bons conteúdos para nossos espaços de opinião política.