Inaugurada ala psiquiátrica do Hospital Infantil de Lages

Em homenagem ao médico Moacir José Cucco, profissional que atuou por 44 anos na unidade, morto em 2020 vítima do coronavírus, foi inaugurada na noite desta segunda-feira (19), uma ala específica para oferecimento do serviço psiquiátrico no Hospital Seara do Bem.

Assim, a disponibilização de leitos para atendimento de crianças e adolescentes que precisam de tratamento psiquiátrico é uma realidade em Lages.

A ala tem 10 leitos, sendo cinco femininos e outros cinco masculinos, para internação, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de crianças e adolescentes com transtornos mentais e dependência química.

A criação dos leitos de saúde mental foi objeto de um cumprimento de sentença em processo ajuizado pelo Ministério Público, em 2017. Em audiência, no ano seguinte, houve um acordo judicial entre direção do hospital e Secretaria Estadual de Saúde no qual previa a implantação dos serviços de psiquiatria no Seara do Bem.

Informações e fotos: Taina Borges

Covid-19: Hospital Infantil entra no auxílio aos adultos

Neste sábado (5) ficou definido que o Hospital Seara do Bem vai disponibilizar seis novos leitos de enfermaria para pacientes adultos da Covid-19. Esses leitos já estão devidamente prontos para receber pacientes, caso necessário.

Hospital Infantil cedeu seis leitos UTI a pacientes adultos

Importante destacar que essa ação não vai interferir na rotina de atendimentos do Seara do Bem e que os pacientes adultos ocuparão um setor separado, sem nenhum tipo de contato com os pacientes pediátricos internados na unidade.

Na sexta-feira (4 de dezembro) a rede hospitalar de Lages chegou a registrar 100% de ocupação dos leitos de enfermaria e UTI Covid. Para buscar soluções de forma conjunta diante desse cenário, a Secretaria Municipal da Saúde propôs reuniões de emergência com lideranças da Serra Catarinense.

Foto: divulgação

Novos Leitos de UTI no Hospital Infantil Seara do Bem

Para atendimento aos pacientes do Covid-19, o Hospital Seara do Bem solicita a habilitação de novos leitos de UTI. O objetivo é o de fortalecer o enfrentamento da doença em crianças e adolescentes da região.

Para tanto, o Hospital Infantil montou e equipou cinco novos leitos de Terapia Intensiva Pediátrica. Leitos estes que já estão prontos e aguardando a habilitação pelo Ministério da Saúde. 

O Diretor Administrativo  Éder  Gonçalves enfatiza que o Hospital  Seara do Bem está adotando medidas,  em função  do agravamento da epidemia e aproximação do pico do coronavírus, e que a Instituição está preparada e alinhada para este cenário.

(Informações e foto: assessoria de imprensa)

Transição no atendimento infantil para a UPA

Lages passa nesta terça-feira (14), às 8 horas, atender as crianças também na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no bairro Universitário. Por esta razão, na manhã deste segunda-feira (12), todo o estafe da Unidade e mais o prefeito em exercício Juliano Polese, reuniram a imprensa para que fossem sanadas as últimas dúvidas.

Importante que se diga, e isso foi novamente reforçado. Ou seja, a transferência de alguns atendimentos, os menos graves, de crianças, do Hospital Infantil para a UPA 24 horas, não é uma decisão pura e simples tomada da pela Prefeitura.

O processo, lembrado por Juliano Polese, teve início em 2011, quando a Unidade foi projetada e teve início, e agora se efetiva com a Unidade pronta. O mesmo procedimento tanto para crianças quanto para adultos seguirá o padrão nacional. Tudo está sendo acompanhado pelo Ministério Público.

Secretária Odila ao lado do procurador do Município Agnelo Miranda

A secretária de saúde, Odlila Waldrich definiu como “pessimistas de plantão” àqueles que dizem que não vai dar certo. Pois, o serviço ainda nem começou.

Além disso, e muito bem lembrado, o Hospital Infantil terá um desafogo diante das prioridades nos atendimentos. Antes, casos leves, estavam na fila, trancando os que mais precisavam do médico.

Durante 60 dias haverá um veículo no Hospital Infantil, para o transporte de crianças para a UPA, caso a triagem aponte somente a necessidade do Pronto Atendimento.

Outro fator importante. Se casos graves chegarem até à UPA, estas crianças serão atendidas, estabilizadas, e depois, levadas para o Seara do Bem para internamento. O mesmo procedimento ocorre com os adultos, que depois de previamente atendidos, vão para o Hospital Nossa Senhora dos Prazeres.

Depois de tudo reexplicado para a imprensa, foi mostrado o ambiente exclusivo onde as crianças serão atendidas. Portanto, hora de deixar que as coisas comecem a funcionar no novo sistema, para então ser avaliado.

E, lembrando mais uma vez. O Hospital Seara do Bem terá o serviço bem mais rápido, no atendimento de urgência, com o deslocamento dos casos menos graves à UPA. Esse, sem dúvida, será um grande benefício aos que realmente precisam de atendimento imediato.

Atendimento pediátrico na UPA a partir de 14 de janeiro

Ainda tem gente em dúvida quanto ao novo modelo de atendimento previsto para a pediatria, a partir do dia 14 de janeiro, junto à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Lages.

UPA passa a atender casos menos graves em pediatria

Vale lembrar que a adequação dos novos fluxos de atendimento pediátricos será realizada nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e na UPA, enquanto que os atendimentos de urgência e emergência continuarão sendo feitos no Hospital Infantil.

O ajuste entre a Prefeitura de Lages e o Hospital Infantil segue determinação do Ministério Público de Santa Catarina (MP/SC), que exige que os atendimentos médicos pediátricos se enquadrem às normativas de Saúde Pública.

Além disto, há um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em 29 de novembro de 2016 pelo então prefeito Toni Duarte, e que obriga a prefeitura a encaminhar os atendimentos ambulatoriais de pediatria para a UPA.

Casos graves continuam sendo atendidos no Hospital Infantil

Portanto, na classificação de risco, os casos azuis e verdes serão atendidos na UPA. Os demais serão encaminhados ao HISB.

A escala de cores

Vermelho (emergência): Neste caso o paciente necessita de atendimento imediato;

Laranja (muito urgente): O paciente necessita de atendimento o mais rápido possível;

Amarelo (urgente): Neste caso o paciente necessita de avaliação, o caso não é considerado emergência, e o paciente já tem condições de aguardar o atendimento;

Verde (pouco urgente): Casos pouco graves, que podem inclusive serem tratados ambulatorialmente, e

Azul (não urgente): Casos de baixa complexidade, o paciente deve ser tratado ambulatorialmente.

Para minimizar a transição

Haverá uma ambulância na UPA e outra no Hospital Infantil para atender a demanda de transporte médico-ambulatorial, além do apoio, quando necessário, do Samu e do Corpo de Bombeiros;

Fotos: divulgação

Novos esclarecimentos sobre atendimento pediátrico na UPA

O assunto requer realmente muita atenção, e principalmente esclarecimento. Para tanto, na manhã desta terça-feira (12), em coletiva à imprensa, os responsáveis explicaram em detalhes o que deverá se suceder, em razão da prevista transferência do atendimento pediátrico junto à UPA, a partir de 14 de janeiro de 2020.

Tudo atende às normativas da saúde pública, assim como é feito em todos os municípios do País. Assim, na UPA e nas UBS serão atendidos os casos ambulatoriais, e o Hospital Infantil irá atender os de urgência e emergência, e que requerem internação imediata.

A população precisa saber que a emergência do Hospital Infantil não irá fechar, apenas está sendo regularizada uma situação de ordem legal.

Por outro lado

A prefeitura de Lages e o Hospital Infantil estão seguindo determinação do Ministério Público de Santa Catarina (MP/SC), que exige que os atendimentos médicos pediátricos se enquadrem às normativas de Saúde Pública.

Além disto, há um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em 29 de novembro de 2016 pelo então prefeito Toni Duarte, e que obriga a prefeitura a encaminhar os atendimentos ambulatoriais de pediatria para a UPA;

Demais esclarecimentos

Na classificação de risco, os casos azuis e verdes serão atendidos na UPA. Os demais serão encaminhados ao HISB. Além disso, haverá uma ambulância na UPA e outra no Hospital Infantil para atender a demanda de transporte médico-ambulatorial, além do apoio, quando necessário, do Samu e do Corpo de Bombeiros.

E, também, com a habilitação da UPA para atendimento pediátrico, seguindo todas as normativas de Saúde Pública, o Município de Lages poderá receber mais recursos federais para investimentos no setor de pediatria.

Classificações de risco

O protocolo de Manchester consiste em um sistema de triagem baseado em cinco cores: Vermelho, laranja, amarelo, verde e azul, sendo vermelho representando os casos de maior gravidade, e azul os casos de menor gravidade.

Vermelho (emergência): Neste caso o paciente necessita de atendimento imediato;

Laranja (muito urgente): O paciente necessita de atendimento o mais rápido possível;

Amarelo (urgente): Neste caso o paciente necessita de avaliação, o caso não é considerado emergência, e o paciente já tem condições de aguardar o atendimento;

Verde (pouco urgente): Casos pouco graves, que podem inclusive serem tratados ambulatorialmente;

Azul (não urgente): Casos de baixa complexidade, o paciente deve ser tratado ambulatorialmente.

Fotos: Marcelo Pakinha

Atendimento à pediatria é reforçado em TAC

Em nova reunião nesta segunda-feira (11) entre as partes, ou seja, Prefeitura, Hospital Infantil e Ministério Público, houve o reforço no Termo de Ajustamento de Condutas (TAC), assinado em 29 de novembro de 2016.

O TAC, reafirma que o Município é obrigado a oferecer os serviços ambulatoriais de pediatria na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas, uma vez que, o local tem todas as condições para isso. Já os atendimentos de urgência/emergência continuarão no HISB.

Obrigação

Pelo acordo, a Prefeitura é obrigada, sob pena de multa de R$ 1 mil por dia imposta ao chefe do Executivo, a oferecer os atendimentos em espaço próprio, conforme determina o Ministério da Saúde.

Na reunião desta segunda-feira, foram destacados sete principais pontos, devidamente registrados em ata e assinados representantes de cada órgão ou entidade.

Pela importância do assunto, destaco na íntegra os sete pontos:

 1) Que o Município de Lages está adotando todas as providências necessárias para a adequação dos novos fluxos de atendimento pediátrico, sendo que os atendimentos ambulatoriais serão realizados nas unidades de saúde e na UPA e os atendimentos de urgência/emergência continuarão sendo realizados no HISB;

2) Que será dada ampla divulgação à população sobre esses novos fluxos, sendo que o HISB, inclusive, já contratou assessoria de imprensa para realizar a divulgação. O Município de Lages mantém seu compromisso de dar ampla divulgação por todos os seus canais de comunicação;

3) Que a divisão dos atendimentos ambulatoriais (UPA) e urgência/emergência (HISB) atende a todas as normativas de saúde, inclusive, é o que é adotado em todos os Municípios do Estado;

4) Que foi sugerido que a Secretaria Municipal de Saúde e o HISB convidem a Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores para todos os esclarecimentos que fizerem necessários;

5) Que haverá uma referência e contrarreferência entre a UPA e o HISB, sendo que tudo será devidamente regulado;

6) Que o Ministério Público continuará acompanhando toda a situação, inclusive, porque já foi objeto de compromisso de ajustamento de condutas celebrado em 2016 (com relação ao atendimento ambulatorial), e também objeto de cumprimento de sentença ajuizado em 2018 (com relação aos serviços de urgência e emergência). Tudo, ademais, segue em conformidade com as Portarias número 10/2017 e 2.395/2011;

7) No mais, conforme já havia sido previsto em reunião realizada no dia 1º de novembro de 2019, o Município de Lages e o HISB continuarão encaminhando quinzenalmente relatórios de atividades relacionadas às mudanças que estão sendo implementadas, até a total transferência do atendimento para a UPA.

Foto: divulgação

UPA irá suprir demanda do Hospital Infantil

A Secretaria Municipal de Saúde irá começar a atender as crianças a partir de dezembro, ou seja, todo o serviço hoje feito no Pronto Atendimento do Seara do Bem será de responsabilidade da UPA, de Lages, que atende em média de 400 pessoas por dia, e, vai acumular o serviço com as crianças.

Uma situação complexa, mas que já está com a transição em andamento. No Hospital Infantil somente casos de urgências e internamentos para as crianças. Seguirá a filosofia, a de internamento, apenas. Porém, com novas habilitações.

Atualmente, o município mantém três médicos no Hospital Infantil. De resto, a responsabilidade é da própria administração da Insituição

Esta não é uma vontade do município, mas, a medida deverá ser mesmo na UPA, que terá parte da estrutura voltada ao atendimento infantil, em casos de consultas menos graves. É mais ou menos isso.

De qualquer forma, uma obrigação preocupante que o Município de Lages passará a assumir. E, por outro lado, o Estado segue sem estender as mãos quanto à nova ala do Hospital Tereza Ramos.

O assunto foi revelado durante entrevista ao comunicador Jones Paulo, na Nova TV, na manhã desta segunda-feira (30).

Foto: divulgação