Conversa boa sobre o que se quer da Festa do Pinhão

Considero extremamente relevante a conversa entre entidades representativas e o poder público municipal para tratar de questões que podem resultar num edital mais bem elaborado e que fique justo para as partes interessadas.

Nesta quarta-feira (26), foi basicamente isso que foi tratado, além da apresentação de um balanço bastante genérico sobre o envolvimento da festa e o público, seja diretamente no Parque Conta Dinheiro, no Recanto ou pelas redes sociais.

No que há algumas divergências nas ideias, mas o ponto comum de que o modelo da parceria de hoje, a público-privada é o mais viável.

Importante que sim a participação de diversas cabeças representativas, para que o consenso impere e o edital que deve sair dentro de uns 30 dias, tenha a consistência desejada por todos.

A outorga gira em torno de R$ 220 mil anuais, variáveis de acordo com o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), em contrato com validade para os próximos cinco anos.

A conversa foi bastante produtiva. Tanto que uma nova reunião, mais definitiva sobre sugestões, foi agendada para o dia 4 de julho, às 10 horas da manhã, na Prefeitura.

Por fim, o desdobramento das sugestões delineadas pelas entidades interessadas em melhorar o evento a cada ano, certamente tem o objetivo de dar maior visibilidade à cultura serrana, à prática de preços e a formas de atrair maior número de lageanos e turistas para o roteiro.

Fotos: Toninho Vieira

Muitos documentos perdidos na Festa do Pinhão

Há quem passe a noite procurando objetos perdidos durante a Festa do Pinhão, exatamente porque sabem que as pessoas realmente perdem, desde documentos, cartões, dinheiro, e até mesmo celulares. Que digam os garis que cuidam da limpeza constantemente.

Seja como for, grande parte do que é encontrado, é também entregue a um departamento específico. Agora, quem perdeu, poderá ver se encontra o documento ou cartão, junto à Fundação Cultural, no Centro de Lages.

Entre os documentos, os de identidade, de estudante, de motorista, cartões diversos e carteiras.

Foto: divulgação

Pedidos de informação

No papel de fiscalizador, os vereadores de Lages têm feito inúmeros pedidos de informação, sobre os mais diferentes setores da Prefeitura de Lages.

Esta semana, o vereador Bruno Hartmann (PSDB), juntamente, com os edis Amarildo Farias (PT), Ivanildo Pereira (PR), Jair Junior (PSD) e Osni Freitas (PDT) querem saber sobre os gastos da Fundação Cultural, tudo de forma discriminada sobre o repasse de verba a instituições, entre outros pontos.

O documento pede ainda a detalhamento de cada cargo da Fundação, seu vencimento, classificando o servidor como efetivo ou comissionado, e a relação de pessoas físicas que prestaram serviços à Fundação, informando qual o serviço prestado e o total empenhado, com cópia dos respectivos empenhos.

Na Educação

Em outro pedido, os vereadores Luiz Marin e Lucas Neves (ambos do Progressistas) ao prefeito de Lages, Antonio Ceron com cópia para secretária municipal de Educação, Ivana Michaltchuk:

Eles querem saber qual é o número de funcionários efetivos, de todo o quadro funcional da Secretaria de Educação? Destes quantos se encontram de atestado e auxílio doença na respectiva secretaria?

E qual é o número de funcionários contratados através de processo seletivo do quadro funcional da Secretaria de Educação? Destes, quantos se encontram de atestado e auxilio doença na respectiva pasta.

O pedido de informações nestas duas áreas deve ter um propósito. Como se vê, os vereadores adotaram uma linha dura com relação à Prefeitura, coisa que em legislaturas anteriores quase não se via.

(Foto: Ascom Câmara de Vereadores)

Fundação Cultural de Lages: está acontecendo!

A 17ª Semana Nacional de Museus entrou no terceiro dia de programação com teatro. Elaborado pela equipe do MHTC, “Descobertas Históricas do Museu” conta a história de diversos personagens que ajudaram a construir a comunidade lageana.

A encenação foi apresentada nesta terça-feira (14 de maio) no auditório Mário Augusto de Sousa, na Fundação Cultural de Lages (FCL) em dois períodos.

A própria equipe do MHTC encarregou-se da criação do texto, figurino e cenários. Para a representação do boneco Juquinha, que dividiu diversas horas de programas de auditório da Rádio Clube nos anos 50, o time do Museu preparou roupas e outro boneco para reproduzir o original que está em exposição no acervo do MHTC.

Programação da 17ª Semana Nacional de Museus:

15/05, quarta-feira:

Biblioteca Pública Carlos Dorval de Macedo:

9h30 e 14h30 – Conhecendo os monumentos – Izabel Ribeiro e Paulo Guasselli.

16/05, quinta-feira:

Memorial Nereu Ramos, Praça do CEU e MHTC:

9h30 e 14h30 – Animação curta-metragem “Amigos para Sempre”, documentário “O Chão da Minha Terra: A Vida de Nereu Ramos e documentário “Carta a Malinverni Filho”.

17/05, sexta-feira:

“Contos sobre Lendas” com Ader Godoy

9h30 e 16h30 – Ponto de Leitura Rita de Cássia (Terminal urbano de Lages)

11h e 14h30 – Memorial Nereu Ramos

14h – Visita guiada ao acervo documental do MHTC – Estrutura burocrática da Província de Santa Catarina e Villa de Lages, XVIII e XIX – equipe MHTC e Professor Msc. Felipe Reis

Informações e fotos: Fabrício Furtado

Festa do Pinhão: candidatas a rainha vão passar por triagem

Como era esperado, o grande número de candidatas inscritas (32) para o concurso de escolha da rainha e princesas da 31ª Festa Nacional do Pinhão, obriga a comissão organizadora a fazer uma triagem, reduzindo este número pela metade.

Seja como for, está chegando a hora do concurso mais esperado pelas lageanas. Nesta segunda-feira (18 de março) elas receberam as boas-vindas e tiveram o primeiro contato com as normas e protocolo da escolha oficial, em uma reunião na Fundação Cultural de Lages (FCL).

Na ocasião conheceram a equipe que que as acompanhará durante o processo antes e depois do concurso, e extensa agenda que as vencedoras terão pela frente. Também receberam dicas de passarela, maquiagem, roupas e acessórios que possam evidenciar a beleza de cada uma na hora do desfile.

A data da escolha oficial já está definida e será no dia 27 de março, uma quarta-feira, às 20h, no Teatro Marajoara.

A triagem será realizada nesta quarta-feira (20 de março), no Teatro Marajoara, às 16h. As candidatas se apresentarão de forma espontânea, mostrando toda sua desenvoltura e cativando os cinco jurados que terão a incumbência de selecionar aquelas que melhor representarem Lages e sua cultura.

Fotos: Toninho Vieira

Festa do Pinhão: abertas as inscrições para as Sapecadas

Os interessados em participar das Sapecadas da Serra Catarinense e da Canção Nativa deste ano já poderão acessar os editais de credenciamentos dos festivais nos sites da prefeitura de Lages, Sapecada e Fundação Cultural de Lages (FCL) nos endereços lages.sc.gov.br, sapecada.lages.sc.gov.br e cultura.lages.sc.gov.br. O prazo final para as inscrições dos dois festivais é até o dia 24 de março.

Nos editais estão todas as informações referentes ao processo de inscrição, cadastro de composições, documentação necessária e aspectos sobre as triagens. As datas da triagem das composições serão divulgadas pela FCL em breve.

Foto: Nilton Wolff

Atendimento normal na Fundação Cultural de Lages

À exceção da Escola de Artes, toda a estrutura da FCL voltou ao atendimento no dia 2 de janeiro.

O período de recesso da Fundação Cultural de Lages (FCL) iniciado no dia 24 de dezembro finalizou no dia 2 de janeiro quando as atividades de atendimento para o ano de 2019 foram iniciadas na sede da FCL e nas demais extensões: Museu Histórico Thiago de Castro (MHTC), Memorial Nereu Ramos, Biblioteca Pública Carlos Dorval de Macedo, Ponto de Leitura Rita de Cássia Proença (Terminal urbano), Teatro Municipal Marajoara e Praça do CEU (Bairro Universitário).

Serviço:

Sede FCL: de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h;

Museu Histórico Thiago de Castro: de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h;

Memorial Nereu Ramos: de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h;

Escola de Artes: a partir do dia 7 de janeiro, segunda a sexta-feira, das 13h às 19h;

Biblioteca Pública Municipal Carlos Dorval de Macedo: de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h (durante as férias escolares);

Ponto de Leitura Rita de Cássia Proença (Terminal urbano): de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h;

Teatro Municipal Marajoara: de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h;

Praça do CEU (Bairro Universitário): biblioteca e administrativo de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h.

Foto: Fabrício Furtado

Questão dos cartões corporativos predominou em coletiva

A coletiva à imprensa, na Prefeitura de Lages, na manhã desta segunda-feira (22), teve ingredientes diferenciados devido à repercussão, na semana passada, sobre o uso dos cartões corporativos e que constavam gastos em nome do secretário de Planejamento e Obras, Clayton Bortoluzzi, e do superintendente da Fundação Cultural Gilberto Ronconi. Ambos os casos já foram justiçados, mas, mesmo assim, o prefeito Antonio Ceron pediu a instauração de processo administrativo, e quer o resultado em 30 dias.

Por outro lado, taxou as colocações de alguns espaços na imprensa, de ilações marotas e com consequências à vida pessoal. Pois, no caso de Claynton, por exemplo, nunca comprou em seu cartão o que foi relatado, e sim, com recursos de uma fonte coletiva. Revelou que houve gastos, mas para uma confraternização para o dia das mães entre funcionários. Sobre o carro lavado, comprovou ser o de um gol da própria repartição, e não particular, e que faz parte da manutenção natural da frota.

Porém, o que mais se evidenciou foi a chateação do prefeito, com a forma em que o fato foi explorado pelos gastos de R$ 65,00 e R$ 100 reais respectivamente.

Pediu que a imprensa dê seriedade aos fatos, mas sem machucar ninguém, apenas por vingança política. Falou que parece ser uma coisa orquestrada com o objetivo de apenas falar mal e pronto.  Isso, sem sequer ouvir os dois lados antes de lançar o que chamam de notícia. E, ouvir os dois lados que é o princípio básico do jornalismo.

“Aqui não é a casa da mãe Joana. Não estamos aqui para fazer bandalheira. Sou casa grossa, mas respeito a empresa de comunicação que ataca, mas que faz isso para tentar ganhar as eleições daqui há dois anos. Quem é que nãos sabe disso”? Tudo foi dito sem citar nomes.

E mais. Disse que se for preciso, citem ele e seu CPF, mas não prejudiquem a cidade no dia a dia, e que o que estão fazendo não é justo, só para obter dividendos políticos mais à frente.

Aliás, entre as colocações chamou atenção o que declarou a secretária de Saúde, Odila Waldrich, de que não faz uso do cartão corporativo para evitar esse tipo de acusação. Disse que viaja quase todas as semanas para Florianópolis e paga Hotel e refeições do próprio bolso. O que acho um absurdo. No entanto, ela faz assim exatamente por medo de acusações indevidas.