Medicina Veterinária da Udesc Lages oferece 30 vagas

Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) segue com inscrições abertas, até 6 de junho, para o Vestibular de Inverno 2022. Nesta edição, o Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), em Lages, oferece 30 vagas para o curso gratuito de Medicina Veterinária.

Curso de Medicina Veterinária é gratuito e tem cinco anos de duração – Foto: Fabrício

Com cinco anos de duração, o Bacharelado em Medicina Veterinária visa formar profissionais com conhecimentos para desenvolver ações e resultados voltados à área das Ciências Agrárias no que se refere à produção animal, produção de alimentos, saúde animal e proteção ambiental, preocupados com o modelo globalizado e regional de desenvolvimento, primando por um ensino de qualidade.

Entre outras oportunidades, é possível trabalhar em clínicas veterinárias, como responsável técnico em estabelecimentos veterinários e na indústria de medicamentos e de produtos veterinários. O profissional veterinário pode atuar nas áreas de Medicina Animal, Produção Animal, Produção de Alimentos e na área de Proteção Ambiental.

Demais cursos

Na Udesc Lages também são oferecidos os cursos de Agronomia, de Engenharia Ambiental e Sanitária e de Engenharia Florestal. Todos são gratuitos e possuem conceitos elevados no Ministério da Educação (MEC), estando entre os melhores do País. Em cada um, são oferecidas 30 vagas no Vestibular de Inverno 2022.

Saiba mais sobre o curso de Medicina Veterinária:

Vice-governadora: “Mexeu com o agro, mexeu comigo!”

Em nota, a vice-governadora Daniela Reinehr afirmou ter recebido com perplexidade a notícia de que, durante um evento na Universidade do Estado de Santa Catarina, na última semana, foram proferidas palavras e ações com o nítido propósito de promover a difamação do agronegócio.

Segundo ela, no mesmo instante, pediu a apuração destas informações e a responsabilização dos envolvidos em falas ideológico-difamatórias que visam denegrir este segmento fundamental para a economia do nosso Estado e do país: o AGRO. “Não podemos permitir a subversão de valores e a doutrinação no âmbito estudantil, em qualquer que seja a sua esfera pedagógica, muito menos em uma universidade do Estado”, disse.

E mais, ressaltou que não se pode permitir que esse tipo se situação se repita. “Não podemos permitir que a Udesc se torne mais uma universidade pública ideologicamente poluída a ponto de assistirmos sua própria destruição”, completou.

Hoje estamos combatendo a estiagem, no entanto…

Também estamos acompanhando o que tem acontecendo em outras regiões do país, com chuvas intensas e muita destruição, por causa do fenômeno climático chamado La Niña, de acordo com meteorologistas do órgão federal. Isso já aconteceu em Santa Catarina e resta torcer para que não aconteça mais. Difícil prever.

Em Lages

A última forte chuva, em Lages, ocorreu em 2017. Os alagamentos na cidade, principalmente na orla do rio Carahá, nas proximidades do Rio Caveiras, deixaram casas, empresas e até mesmo o Clube Caça e Tiro, submersos. E não foi uma única vez.

Que o drama das cheias não se repita em Lages (Foto: divulgação)

A partir do último fenômeno se pensou num Plano de Contenção das Cheias. O prefeito Antonio Ceron encabeçou e propôs um estudo técnico e deixar de lado os “achismos” a respeito das soluções. Na Câmara de Vereadores, a mesma iniciativa também foi tomada por alguns edis.

O projeto

Assim, se não me engano, um estudo ficou pronto em 2019, feito por especialistas do Centro de Ciência Agroveterinárias (CAV), e apresentado na própria Câmara de Vereadores.

Apresentação na Câmara de Vereadores de um levantamento técnico e dados científicos para prevenir as enchentes em Lages, no dia 24/10/2019.

Entre as soluções a construção de uma barragem entre Lages e Painel; túnel extravasor entre a chácara Asa Verde, no emboque, atrás do Morro Grande, e também, a construção de pelo menos cinco diques no Caveiras. Isso tudo para reduzir o impacto das enchentes, caso voltassem a acontecer.

Custo

O problema é que a partir do estudo, o custo para a execução do Plano de Contenção ficou bastante alto. Na época, custaria em torno de R$ 70 milhões para a construção das barragens, e o túnel, em torno de R$ 30 milhões. Os dados fazem parte de pesquisas em reportagens da época.

Conclusão

Quem poderá afirmar que estas chuvas da Bahia, de Minas Gerais, de São Paulo e do Rio de Janeiro não poderão, mais tarde ocorrer em Santa Catarina? Obviamente, há possibilidade, cedo ou tarde, infelizmente.

Enquanto isso, o Plano de Contenção das Cheias, elaborado em Lages, sem “achismo”, está esquecido, no fundo de uma gaveta qualquer. Se, infelizmente, Lages viver novo drama no futuro, a população que normalmente sofre, saberá de quem cobrar. Pois, sequer foi tentado executar uma parte sequer, do tal Plano.

Hospital veterinário do CAV volta a atender a comunidade

Eis uma boa notícia. O Hospital de Clínica Veterinária (HCV) do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Lages, voltará a atender o público externo, a partir da próxima segunda-feira, 9.

Os atendimentos acontecerão de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, somente com agendamento prévio. Para agendar, é necessário ligar para o telefone (49) 3289-9120. As vagas serão limitadas por setor do HCV.

Vale lembrar de que o atendimento foi suspenso devido à pandemia. O retorno das atividades externas, vão seguir todas as normas sanitárias, como distanciamento social, aferição de temperatura, disponibilidade de álcool em gel e uso obrigatório de máscaras faciais. Durante o atendimento, será permitido apenas um acompanhante por paciente.

 Foto: Ana Cristina

Prêmio Nacional ao Projeto Lixo Orgânico Zero, de Lages

O case agora irá virar modelo nacional e garantia de uma solução extremamente facilitadora para a comunidade englobada na sensibilização de proteger mais o planeta.

Como jornalista ligado ao meio ambiente, comemoro a notícia juntamente com os idealizadores. Há anos acompanho a incansável luta de pessoas como a Sílvia Oliveira, desde os tempos em que atuava pelo SESC, e o professor Germano Güttler, lá pelos lados do CAV.

O projeto não é de hoje, portanto. Mas, logo se incorporou à Prefeitura de Lages, através da Secretaria de Meio Ambiente, e passou a ter novos suportes para ser expandido. E o foi.

Tanto que passou a ser reconhecido nacionalmente, e premiado. Agora, a boa notícia de que foi agraciado com o Prêmio Nacional Lixo Zero. É algo grandioso, de uma dimensão de alto nível, e que, com certeza, trará dividendos positivos ainda maiores para Lages e Região.

Em razão da pandemia, a entrega da premiação será online, já nesta quarta-feira (23), às 19 horas, e poderá ser vista ao vivo, em todo o Brasil, pelo canal do YouTube do Instituto Lixo Zero Brasil (ILZB), promotor do Prêmio Nacional.

Seleto grupo

O Projeto Lixo Orgânico Zero concorreu com diversas iniciativas brasileiras e esteve no seleto grupo do hall dos participantes inscrito na categoria Compostagem com a proposição do “vaso compostor”, depois de experimentos assíduos e comprovação de eficiência.

O vaso compostor, vencedor do Prêmio em 2020, é uma das dinâmicas que proporcionaram a visualização da simplicidade do processo de compostagem, ampliando consideravelmente a dinâmica do trabalho, e teve o apoio do presidente do Instituto Lixo Zero Brasil (ILZB), Robrigo Sabatine, e da Juventude Lixo Zero, na divulgação.

O vaso compostor/Método Lages de Compostagem foi descrito em um artigo da revista norte-americana BioCycle, em outubro deste ano.

Primeira premiação

E não é a primeira vez que o Projeto Lixo Orgânico Zero é honrado com premiações.

Em 2019 o Projeto lageano já levou o Prêmio Nacional Lixo Zero na categoria Conscientização e Educação, em evento no Rio de Janeiro, possibilitando que mais de 50 mil domicílios fossem contemplados a partir da decisão do prefeito Antonio Ceron, de estender este Prêmio à comunidade com a isenção do aumento do valor da tarifa de lixo que cobre as despesas com a coleta, transporte e destinação do lixo ao aterro sanitário.

Fotos compostagem: Arquivo e Divulgação (alguns registros feitos antes da pandemia)

Professor Cleimon debate a inovação tecnológica em Lages

O candidato à prefeitura da coligação Lages que Olha para Frente, Professor Cleimon (PT), participou nesta terça-feira (27) do Chimatalks, evento organizado pelo Orion Parque Tecnológico para debater suas iniciativas e ações no fortalecimento do desenvolvimento tecnológico do munícipio. 

Professor Cleimon destacou que sua plataforma de governo prioriza emprego e renda. Afirmou que a tecnologia é aliada para fomentar mais trabalho e inovação para Lages e que será um prefeito atento para prestar todo auxílio ao setor de negócios e desenvolvimento.

O candidato petista lembrou que quando administrava o Centro Agroveterinário (CAV) foi um grande incentivador da criação do Orion Parque Tecnológico e que sempre prezou por iniciativas que trouxessem mais progresso para o município.

Professor Cleimon ainda ressaltou que junto com o setor, pretende transformar Lages em referência na inovação e dinamismo econômico.

Por: Comunicação – Lages que olha para frente

Carreata de protesto gera multa a manifestantes

O fato envolvendo um Policial Militar, no último dia 4 de agosto, ao invadir um apartamento e agredido uma jovem estudante moradora. Um vídeo mostrando o fato viralizou e acabou gerando protestos. Colegas de aula da jovem organizaram uma carreata e foram para as ruas e finalizaram em frente à sede do 6º BPM, no bairro São Cristóvão.

A carreata não tinha autorização legal e resultou na expedição de cerca de 160 multas aos manifestantes, com valores acima de R$ 2 mil reais

A Polícia Militar emitiu nota à imprensa, relatando de que todas as providências foram tomadas, inclusive, com a divulgação ampla do posicionamento da PM.

A nota reafirma que o comando do 6º BPM não concorda com as ações do soldado PM e que as medidas contra ele foram tomadas, conforme manda a lei.

Por outro lado, as multas foram expedidas em razão da não observação das normas de trânsito e sanitárias. Assim, a aplicação da Lei foi impositiva. Ainda de acordo com a nota da PM, caso não fossem tomadas as providências legais contra os manifestantes, a PM estaria inserida ao crime de prevaricação.

Leia nota na íntegra abaixo:

Gente nossa desenvolve teste rápido e inovador para Covid-19

Novo teste foi desenvolvido por pesquisadores do Laboratório de Bioquímica da Udesc Lages, o nosso Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), em parceria com outras instituições. Trata-se de um teste molecular inédito para diagnóstico da Covid-19.

A descoberta aconteceu após três meses de trabalho em que os pesquisadores formularam um novo teste, mais rápido, mais simples e mais barato.

O que foi desenvolvido

Eles desenvolveram um peptídeo, ou seja, uma molécula que reconhece o vírus e se liga a ele. Depois, acrescentaram estruturas químicas que emitem luz e deixam as moléculas com cor fluorescente. Quando elas encontram o vírus e a cor desaparece, o resultado é positivo para o novo coronavírus.

Vantagem

A vantagem do novo teste é que o material coletado dos pacientes não precisa passar por várias análises. As hastes contendo o vírus são mergulhadas em tubos onde há moléculas e a resposta é imediata.

Pesquisas

As pesquisas foram realizadas pelos alunos do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Biologia Molecular da universidade, ao lado da professora Maria de Lourdes e do professor Gustavo Felippe da Silva. Foi o grupo que desenvolveu o peptídeo que se liga ao vírus.

No mercado em até quatro meses

A expectativa dos pesquisadores é que o novo método esteja disponível comercialmente nos próximos três ou quatro meses. Os dados da pesquisa serão públicos e a invenção não será patenteada. Portanto, empresas e laboratórios poderão desenvolver a mesma molécula ou usar a mesma estratégia para formulação de testes.

Foto: Divulgação Pesquisadores