Comunicador denuncia venda de telhas superfaturadas em Lages

Share this

Não bastasse o infortúnio das consequências do novo coronavírus, com pessoas sendo obrigadas a ficarem em casa, outros tantos perderam seus empregos, e muitos, não têm recursos nem para comprar comida, acontece então o fenômeno da natureza, um vendaval, destruindo casas inteiras ou parcialmente, em todo o Estado praticamente.

Um problema gera outro. As famílias atingidas precisam de socorro urgente. A mobilização acontece, e mal conseguem cobrir com lonas plásticas doadas pelo município, para depois providenciarem a compra do material e refazerem os telhados das casas. Isso, só numa parte dos prejuízos inesperados.

E o que acontece?

Acontece que, nos locais que vendem as telhas de fibrocimento (eternit), se aproveitam da desgraça alheia e superfaturam os preços. Uma vergonha a ganância de quem faz isso. 

O radialista Jones Paulo, que também teve a casa destelhada com o vento, em uma live no Facebook, na manhã desta quinta-feira (02),  e que chamou de “live da indignação”, fez um desabafo e uma denúncia. Em locais que vendiam a unidade da telha ao preço de R$ 26 na segunda-feira, 29, hoje cobram até R$ 49. 

Uma ação enérgica da Defesa do Consumidor (Procom) precisa ser feita. Não se pode admitir. Muitas pessoas afetadas sequer podem comprar a máscara para se protegerem do coronavírus, serem exploradas numa hora em que precisam de materiais de construção, para recompor suas casas atingidas pela fúria do vento, da última terça-feira (30 de junho).

Fotos: divulgação