Prefeitos fazem assembleia no aeroporto

Share this

Ao utilizarem o saguão do Aeroporto Regional do Planalto Serrano, em Correia Pinto, para a realização de assembleia da Amures, na tarde desta sexta-feira (12), um dos objetivos foi o de apresentar aos participantes o estágio da obra que já tem cerca de 18 anos, e a necessidade de que as operações regulares a partir dele, comecem o mais breve possível.O tema dominantes no encontro, abordou a questão dos recursos do Fundam 2, o Fundo de Apoio aos Municípios. Walter Manfroi, em nome do Governo do Estado, disse aos prefeitos que está sendo negociada uma distribuição diferenciada para os municípios com o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) mais baixo.

Porém, ainda não foi definida data para o começo dos repasses dos recursos do Fundam 2, mais é possível que seja no meio do ano.

Voltando ao assunto Aeroporto

A expectativa mesmo é de que as operações realmente iniciem neste ano. Os prefeitos andaram pela pista, que precisa ser usada, sob pena se deteriorar, enfatizou o prefeito anfitrião do encontro, Celso Rogério. E no prédio, eles viram instalados esteira para bagagem, elevador, cadeiras e demais equipamentos.O Aeroporto Regional de Correia Pinto foi planejado para atender uma região que concentra mais de meio milhão de habitantes: além da Serra, abrange parte do Meio-Oeste, Alto Vale e norte do Rio Grande do Sul.

(Fotos: Greik Pacheco/Tarcisio Poglia)

Um comentário em “Prefeitos fazem assembleia no aeroporto

  1. Opinião, Depois de anos e milhões gastos, a pista construída em Correia Pinto é de apenas 1.600m, ou seja, para turboélices de 70 passageiros, apenas 70m maior que o de Lages. A Serra necessita de um pista/aeroporto para acomodar, sem restrição operacional, os jatos regionais da segunda geração que acomodam 144 passageiros em média. Correia Pinto precisa, no mínimo, pista de 2.200 x 45 metros!!! Também não adianta construir pista de 1.300m como a de São Joaquim, porque um turboélice de 70 passageiros necessita 1367m para decolar ao nível do mar, e muito mais em cima da serra. Em pleno século 21 é inadimissível que um aeroporto (Correia Pinto e São Joaquim) não opere voo por instrumento GPS. Aeroporto sem voo por instrumento não é aeroporto, é um simples aeródromo sem infraestrutura aeroportuária. Sem um aeroporto moderno e atual a serra continuará a sofrer os males do isolamento por falta de facilidades proporcionada pelo modal aéreo. Saudações

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.