RBS TV Centro Oeste ajusta a equipe

0

Depois da mudança de volta à Joaçaba, a RBS TV Centro Oeste precisou de adaptações, principalmente de pessoal.

image2Esta semana, apareceram como novidades os jornalistas Eduardo Cristofoli e Vanessa Nora, que atuavam na RBSTV de Chapecó.

Ambos passaram a integrar a equipe do Meio-Oeste e Serra Catarinense.

image1Difícil não notar a presença de Vanessa que começou a apresentar o Jornal do Almoço ao lado de Lucas Neves, apresentador do programa há cinco anos.

Já o jornalista Eduardo Cristofoli integra a equipe com reportagens e entradas ao vivo no RBS Notícias.

A equipe conta ainda com as participações diárias, e ao vivo, do repórter Victor Hugo Bittencourt.

Ele é o setorista de esporte da equipe, responsável em produzir também reportagens sobre o Inter de Lages para o Globo Esporte.

O grande desafio é agradar o público expectador de 58 municípios que assistem nas duas regiões.

(Fotos: Divulgação)

Canteiro em frente ao Super Alvorada será fechado

0

Eis uma providência que demorou a ser tomada. A abertura na rua Castelo Branco, naquele ponto, bem próxima do portão de entrada da Uniplac, sempre causou transtorno com a passagem liberada de carros.

Retornos proibidos em trechos da Castelo Branco (1)O fechamento se dá com o objetivo de evitar congestionamentos. Aliás, naquele cruzamento, dia desses foi montado provisoriamente uma rotatória. Muita gente gostou.

Um dia quem sabe, alguém nessa cidade tenha peito e faça um estudo para retirar pelo menos a metade dos semáforos e substitua por rótulas.

Poderiam começar pela extinção de quase todos os semáforos da Dom Pedro II.

Audiência na Secretaria de Estado da Saúde

0

Uma comitiva da Serra Catarinense reuniu-se com o secretário de estado da Saúde, João Paulo Kleinubing, para tratar de assuntos administrativos relacionados aos hospitais da região, na manhã desta terça-feira (3), em Florianópolis.

No final, a conversa resultou no encaminhamento de pleitos que darão melhores condições aos pacientes e profissionais dentro das unidades.

2Do encontro participaram também o deputado estadual Gabriel Ribeiro; o secretário de Desenvolvimento Regional, João Alberto Duarte; gerente regional de Saúde, Camila Baccin; diretora do hospital Tereza Ramos, Beatriz Montemezzo; e outros profissionais que ocupam cargos técnicos.

(Informações e foto: Fábio Ramos)

Mais de 400 araucárias vão ao chão na Serra Catarinense

0

O Município de São José do Cerrito é um dos mais aparecem nas contravenções ambientais. Seguidamente alguém por lá é denunciado por derrubar árvores nativas.

mataDesta vez, uma grande área foi desmatada. Exatos 4,13 hectares, totalmente devastada em uma fazenda situada na Localidade de São Geraldo.

O flagrante feito pela guarnição da Polícia Militar Ambiental de Lages, a partir de uma denúncia anônima.

Na propriedade rural foram localizadas 428 toras da espécie Pinheiro Brasileiro, cortadas.

mata1Nesta segunda-feira (2), os polícias fizeram a análise da área devastada, e calcularam mais de 30 metros cúbicos de área destruída atingindo ainda uma área de preservação permanente de 0,35 hectares.

O proprietário do local foi multado em R$59mil e responderá administrativamente e criminalmente pelo crime ambiental.

A madeira apreendida foi doada para a Associação de Desenvolvimento da Microbacia (ADM), da localidade de Campina Dorgelo, interior de São José do Cerrito, e será usada para a construção de um galpão, o qual abrigará as máquinas utilizada pelos agricultores.

Contrário às passagens para cônjuges

0

valdircolattoO deputado federal Valdir Colatto (PMDB-SC) engrossou a lista daqueles deputados que declinaram do uso da quota de passagens áreas para os cônjuges.

Nesta terça-feira (03) ele protocolou ofício na Presidência da Câmara dos Deputados.

Na semana passada, a mesa diretora da Câmara aprovou o novo benefício.

Para Colatto, é inaceitável que esse privilégio seja concedido num momento em que o povo brasileiro sofre com os recentes aumentos na conta de energia elétrica, do combustível e outros impostos.

.

Revogação

Por outro lado, a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados decidiu nesta terça-feira (3), por unanimidade, revogar o ato que permitia aos parlamentares utilizar recursos da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar para custear passagens de cônjuges no trajeto entre o estado de origem e Brasília.

Com a revogação, a regra volta a ser a emissão de bilhetes aéreos apenas para os deputados e seus assessores de gabinete.

Mesmo assim está em estudo o critério de exceção para a compra de passagens para cônjuges. O que não ficou definido ainda.

Leiam e reflitam

0

Manifesto das entidades empresariais de Chapecó

A Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL) e o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (SICOM) divulgam o seguinte manifesto conjunto:

Cresce na sociedade brasileira a desagradável sensação de que as autoridades federais, enclausuradas em Brasília, vivem em outro planeta sem qualquer contato com a realidade dos brasileiros.

O País vive um grave momento de sua história, a economia está paralisada, o desemprego cresce, o consumo despenca, a inflação foge ao controle e penaliza a vida das famílias. Uma onda de indignação varre o País em reação ao aparelhamento do Estado brasileiro e à corrupção que grassa em todas as esferas das estruturas estatais e que desvia bilhões de reais em dinheiro público que faltam para hospitais, creches, escolas, rodovias, portos, aeroportos e programas habitacionais. O pacífico, espontâneo e cívico protesto dos chapecoenses no último sábado, que reuniu mais de 10 mil pessoas, expressa esse sentimento de reprovação e censura.

Governantes adotam uma postura de donos do Poder e esquecem que, acima deles, estão as instituições, pilares do regime democrático. A impressão que temos é que, nos últimos anos, no Brasil, os inconformados com a democracia representativa se organizam no próprio governo para solapar o regime democrático. É intolerável assistir ao uso de órgãos do Estado como extensão de um partido político, máquina de violação de sigilos e de agressão a direitos individuais.
Os brasileiros estão cansados de ver a máquina oficial de publicidade ser mobilizada para reescrever a História, procurando desmerecer o trabalho de brasileiros e brasileiras que construíram as bases da estabilidade econômica e política, com o fim da inflação, a democratização do crédito, a expansão da telefonia e outras transformações que tantos benefícios trouxeram ao nosso povo.

Cumpre-nos, pois, combater essa visão regressiva do processo político, que supõe que o poder conquistado nas urnas ou a popularidade de um líder lhe conferem licença para rasgar a Constituição e desonrar as promessas feitas. As medidas anunciadas e implementadas neste segundo governo da presidente Dilma Rousseff são exatamente o contrário de tudo que ela pregou, prometeu e defendeu em sua campanha eleitoral, o que reforça no brasileiro o sentimento de que o sucesso eleitoral da candidata resultou da mentira e da enganação.

A economia brasileira está paralisada e aproxima-se celeremente um quadro recessivo. A maneira irresponsável, incompetente, populista e eleitoreira com que o Governo Federal conduziu a economia nos últimos anos cobra, agora, a fatura. Mais uma vez, quem pagará a conta dos desmandos são as classes que trabalham, produzem e pagam impostos.

Para tapar os furos de sua inabilidade, o Governo aumenta os tributos, a tarifa dos combustíveis, da água e da energia elétrica e, mais recentemente, dobra as alíquotas da contribuição previdenciária patronal sobre a folha de pagamento de salários. Nessa mesma linha de descaso, a Câmara dos Deputados amplia os privilégios com passagens e diárias para cônjuges dos parlamentares, aumentando em mais 112 milhões por ano os já absurdos gastos do Legislativo Federal.

A má vontade, o descaso com o dinheiro do contribuinte e a leniência dos gestores públicos revoltam a sociedade porque, em nenhum momento, os governantes anunciaram redução de despesas, cortes de estruturas inúteis, diminuição do número de cargos de confiança, implantação de programas de qualidade ou introdução de sistema de avaliação da qualidade dos serviços públicos ou de controle de produção e produtividade do funcionalismo. Isso, jamais. O governo corta na carne da sociedade; jamais em sua própria gordura.

Nesse quadro de dificuldades e desafios, a Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) reforça sua convicção na defesa da Constituição, das instituições e da legalidade e espera que os Poderes constituídos da República, especialmente o Judiciário e o Legislativo e os governantes de todas as esferas da Administração pública se conduzam com responsabilidade e consciência cívica e patriótica.

Chapecó, 03 de março de 2015.

OBS: O que impressiona é que apenas Chapecó está tomando atitudes contra tudo o que está acontecendo no País. Está levando SC nas costas. O manifesto em apoio aos caminhoneiros do fim de semana foi gigante, mas, somente realizado lá.

“Operação Entrevero”: mais uma bomba sobre Lages

0

Desta vez, o GAECO cumpre mandados e investiga processo licitatório da Festa do Pinhão.

Foi na manhã desta terça-feira (03/03), que o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) deflagrou a operação batizada “Entrevero”, dando cumprimento a mandados de busca e apreensão nos municípios de Lages, Chapecó, São Miguel do Oeste e Florianópolis.

O GAECO de Lages investiga supostos crimes contra a administração pública, associação criminosa e fraude no processo licitatório que outorgou a concessão para realizar, organizar e explorar a Festa Nacional do Pinhão no município de Lages/SC.

A operação teve desdobramentos ainda na cidade de Novo Hamburgo/RS, sede da Gaby Produções Ltda., empresa licitante que se sagrou vencedora do certame sob suspeita.

O GAECO é uma força-tarefa composta pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), Polícias Civil e Militar e Secretaria Estadual da Fazenda.

.

Investigações

A trama investigada perpassa pelo conluio e ações previamente ajustadas entre empresas do ramo de eventos e de publicidade, com destaque para a GDO Produções Ltda.

Para driblar a proibição de contratar com o poder público, as investigadas utilizaram empresa de fachada a fim de dar aparência de legalidade ao processo licitatório, passando a operar de forma colaborativa entre si.

.

Mandados de busca

Ao todo, foram expedidos pela Justiça de Santa Catarina onze mandados de busca e apreensão, que estão sendo cumpridos em empresas, órgãos públicos e residências pelos policiais dos GAECOS de Lages, Capital, Itajaí e Chapecó, com o apoio, ainda, do GAECO de Porto Alegre e do Instituto Geral de Perícias (IGP).

O nome da operação teve inspiração no prato típico da gastronomia serrana – o entrevero – servido na Festa Nacional do Pinhão que retrata a confusão de empresas que exploraram de forma ilegítima o citado evento.

Desta vez não será dada coletiva à imprensa. No entanto, o Ministério Público de Lages se coloca à disposição para todos os esclarecimentos.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do MPSC

Nota oficial – Operação Águas Limpas

0

O Ministério Público de Santa Catarina, face as informações veiculadas da possível ocorrência de tortura na deflagração da operação “ÁGUAS LIMPAS DE LAGES”, com base nas declarações que teriam sido prestadas em entrevista coletiva da Banca de Advocacia Espíndola & Valgas, no último dia 27/02, vem a público prestar os seguintes esclarecimentos:

1. A operação “ÁGUAS LIMPAS DE LAGES” foi desencadeada mediante atuação integrada e conjunta entre o GAECO de Lages e a Procuradoria-Geral de Justiça, que dela participou efetivamente;

2. O Ministério Público de Santa Catarina repudia veementemente a afirmativa da ocorrência de tortura, sob qualquer espécie, no desenrolar da operação “ÁGUAS LIMPAS DE LAGES”;

3. As tratativas voltadas à celebração do acordo de colaboração premiada, entre o Ministério Público e dois empresários, também acusados no processo resultante da operação “AGUAS LIMPAS DE LAGES”, decorreram de contato de iniciativa do escritório de advocacia responsável pela defesa desses réus;

4. A subscrição do acordo de colaboração premiada, bem como os depoimentos prestados pelos réus colaboradores, contou, em tempo integral, com a presença e a efetiva participação de seus advogados;

5. As condições do acordo celebrado não isentam de pena os réus colaboradores; preveem o ressarcimento, por esses, de 1 milhão e meio de reais aos cofres do Município de Lages, sem prejuízo de buscar-se os valores restantes em futura ação de improbidade administrativa; e incluem, dentre outras, a obrigação de entrega de documentação comprobatória das declarações prestadas, o que já foi cumprido pelos colaboradores;

6. Encontram-se, assim, as declarações prestadas pelos réus colaboradores amparadas em farta prova documental, o que, inclusive, restou reconhecido e expressamente mencionado pela Egrégia 3ª Câmara Criminal no recebimento da denúncia ofertada;

7. O Ministério Público reitera que não tolera, em nenhuma medida, qualquer ato atentatório à ordem jurídica vigente e, em particular, atos que impliquem na prática de tortura, sob qualquer modalidade.

Lio Marcos Marin
Procurador-Geral de Justiça de Santa Catarina