Sabe-se lá por que, desde 2014 pífios recursos de R$ 95 mil estavam bloqueados no Ministério de Desenvolvimento Social, na conta do Fundo Municipal de Assistência Social Os recursos deveriam ser aplicados ainda na época para cobrir as despesas ocasionadas pela fatídica chuva de pedra.

Mas, como são recursos por direito a Lages, pouco ou muito, o vice-prefeito Juliano Polese e o secretário de Assistência Social trataram de buscar meios de liberá-los. E conseguiram

Agora, a aplicação deste valor será feita somente em casos de situação de emergência ou calamidade instalada na cidade.

A busca desse dinheiro era para utilizar nos auxílios às pessoas atingidas ainda no ano passado após aquela forte enchente. Demorou e só agora Lages teve o parecer favorável da liberação.