O Executivo estadual conseguiu aprovar, numa sessão tumultuada, com galerias cheias de servidores públicos estaduais e lideranças sindicais, mais dois projetos considerados essenciais para o equilíbrio financeiro do Estado. Nos dois casos foi mantida a proposta original. Os projetos 349 e 350/2017 autorizam a renegociação de dívidas do Estado com o BNDES e limita o crescimento anual das despesas primárias correntes, inclusive salários.

A resistência da oposição foi grande, mas a maioria que o Executivo mantém na Casa falou mais alto. Foram 23 votos a favor e sete contrários. A Secretaria de Estado da Fazenda rechaçou o termo “congelamento de investimentos”. Em nota, afirma que a limitação à inflação para despesas não abrange investimentos ou as despesas de capital. (Por Andréa Leonora)

(Foto: Karina Ferreira/Agência AL)